DESTAQUE

Pênaltis, brigas e vídeo em gol de CR7: árbitro de San Lorenzo x Flamengo acumula polêmicas

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: O polêmico Enrique Cáceres será o árbitro de San Lorenzo x Flamengo, pela Copa Libertadores (Foto: Reprodução/Twitter oficial do San Lorenzo)

Nesta quarta-feira, San Lorenzo e Flamengo fazem, no Nuevo Gasómetro, às 21h45, o jogo mais importante dos dois clubes até o momento em 2017. A partida vai selar o destino de ambos na Copa Libertadores. O paraguaio Enrique Cáceres será o árbitro encarregado de conduzir a partida, auxiliado pelos seus compatriotas Eduardo Cardozo e Juan Zorrilla.

LEIA MAIS:
Flamengo x San Lorenzo: veja os 21 jogadores que Zé Ricardo levou para a Argentina
Jornalista argentino diz que poderio ofensivo do Flamengo preocupa San Lorenzo

A boa notícia para os argentinos é que o San Lorenzo jamais perdeu uma partida apitada por Enrique Cáceres. Foram duas vitórias (sobre Independiente Del Valle, em 2014, e Danúbio, em 2015) e um empate (contra a Universidad Católica, neste ano). O paraguaio nunca dirigiu um jogo do Flamengo, mas o retrospecto dos brasileiros com ele no comando é bom: em 12 jogos, foram oito vitórias brasileiras, um empate e apenas três derrotas.

Na atual edição da Copa Libertadores, Cáceres apitou cinco partidas, marcou 155 faltas (média de 31 por jogo) e distribuiu 27 cartões amarelos (média de 5,4 por partida). Nenhum jogador ainda foi expulso pelo paraguaio na competição em 2017.

Opinião de Carlos Eugênio Simon

Para Carlos Eugênio Simon, árbitro brasileiro que apitou três Copas do Mundo e atualmente comentarista de arbitragem do FOX Sports, a escolha de Enrique Cáceres para um jogo desta relevância foi acertada, já que, com sua experiência, o paraguaio saberá conduzir bem a partida.

“Não tinha como ser de outras forma: uma equipe brasileira contra uma argentina, é paraguaio, uruguaio ou colombiano para apitar, então optaram pelo Enrique Cáceres. É um jogo decisivo, um jogo importante e colocaram um árbitro experiente. Ele tem condições, competência para desempenhar a arbitragem na sua plenitude”, afirmou Simon, em entrevista à reportagem do Torcedores.com.

Além disso, o ex-árbitro falou um pouco sobre o estilo de arbitragem de Cáceres.

“Ele é um árbitro de deixar o jogo correr, ele deixa a bola andar. É experiente e tem um bom condicionamento físico. Tecnicamente, ele deixa um pouco a desejar, na minha opinião. Ele é melhor disciplinarmente. Mas ele está entre os principais árbitros da América do Sul, está tendo oportunidades, é um árbitro experiente e que está sendo bastante requisitado”, avaliou o comentarista do FOX Sports.

Polêmicas

Aos 43 anos, Enrique Cáceres é árbitro da FIFA desde 2010 e já dirigiu 25 partidas da Copa Libertadores, incluindo o primeiro jogo da final da última edição da competição. O paraguaio foi o representante sul-americano no último Mundial de Clubes da FIFA e será árbitro assistente de vídeo na Copa das Confederações deste ano. De acordo com o blog Árbitro Internacional, Cáceres é o segundo colocado no ranking de juízes mais importantes da CONMEBOL (o ranking é feito baseado na escalação dos árbitros para torneios continentais e mundiais, de clubes e seleções). Apesar de toda esse status, Enrique Cáceres acumula algumas polêmicas em sua carreira.

Atlético-MG x Arsenal – Libertadores 2013

Em partida válida pela fase de grupos da Libertadores de 2013, o paraguaio marcou pênalti em Luan, quando na verdade, o atacante atleticano foi derrubado fora da área. Ao término da partida, os jogadores do Arsenal de Sarandí foram reclamar com o árbitro e acabaram arrumando briga com a Polícia Militar de Minas Gerais.

Deportivo Capiatá x Olímpia – Campeonato Paraguaio 2016

O jogo proporcionou cenas pitorescas. A grande reclamação do Capiatá foi de um pênalti mal marcado por Cáceres quando a equipe azul e amarela vencia por 3 a 2. Em um lance muito parecido com o pênalti de Renê no Campeonato Carioca, a bola bateu na barriga do zagueiro do Capiatá e o árbitro marcou pênalti. Ali o Olímpia empatou o placar e, depois, viria a virar o jogo e vencer por 5 a 3. Outro ponto de reclamação da equipe da casa foi quanto ao critério adotado pelo árbitro nos outros dois pênaltis anteriores (sim, Enrique Cáceres marcou três penaltis). Para torcedores e dirigentes do time azul e amarelo, o árbitro não adotou o mesmo critério ao expulsar o zagueiro Arnaldo Pereira e dar apenas amarelo ao goleiro do Olímpia, Diego Barreto, já que as penalidades cometidas por ambos foram bastante parecidas. Ao final da partida, o presidente do Deportivo Capiatá invadiu o campo e saiu correndo atrás do árbitro, mas acabou sendo contido antes de chegar em Cáceres.

Chile x Uruguai – Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018

O Uruguai vencia o Chile por 1 a 0 em Santiago, quando o atacante Edinson Cavani sofreu pênalti do goleiro Claudio Bravo. Enrique Cáceres nada marcou e os chilenos acabaram virando o jogo e terminaram vencendo por 3 a 1.

Real Madrid x América-MEX – Mundial de Clubes 2016

Enrique Cáceres voltou a se envolver em nova polêmica no Mundial de Clubes da FIFA do ano passado. Mas desta vez, não foi culpa dele, e sim do assistente de vídeo. Já no final da partida, Cristiano Ronaldo marca um gol em posição legal, mas o assistente avisa ao paraguaio no ponto que o gol havia sido ilegal. O árbitro, então, marca impedimento. Porém, após o América ter reiniciado o jogo, Cáceres volta atrás e valida, acertadamente, o gol de CR7.

Peñarol x Palmeiras – Copa Libertadores 2017

Antes mesmo do apito inicial, a partida no Estádio Centenário já tinha altas chances de terminar em confusão, por conta de uma declaração de Felipe Melo em sua apresentação, dizendo que “se tivesse que dar tapa na cara de uruguaio, iria dar”. Durante os 90 minutos, nenhum incidente grave.

“Aquele jogo entre Peñarol e Palmeiras foi um jogo dificílimo e ele teve um desempenho na média. Os incidentes aconteceram no final do jogo e ele não teve culpa nisso”, analisou Carlos Eugênio Simon.

Porém, ao final do jogo, o meia Matías Mier partiu para cima do volante brasileiro, que revidou com um soco no rosto do uruguaio e acabou causando um tumulto generalizado. Na súmula, Enrique Cáceres afirmou que Felipe Melo levantou as mãos para cima numa possível provocação aos uruguaios. O volante foi julgado e pegou um gancho de seis jogos de suspensão da CONMEBOL.

“Não concordo com ele (Enrique Cáceres), já vi o Felipe Melo esse gesto no Campeonato Brasileiro”, afirmou Simon.