Conheça os 10 capacetes mais estilosos da Fórmula 1

Publicado às

Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.

Crédito: Reprodução/Facebook oficial Ayrton Senna

É claro que os carros de Fórmula 1 chamam a atenção mas se tem algo no mundo do automobilismo que é capaz de ficar gravado na memória do fã é o capacete dos pilotos. Dos mais “clássicos” aos mais “diferentões”, fato é que o equipamento rende discussões acaloradas sobre os mais bonitos, os mais feios e os mais exóticos.

E, é claro, o Torcedores.com não vai ficar de fora da discussão. Abaixo, listamos os 10 capacetes mais estilosos da história da Fórmula 1. Seja pelo valor histórico, seja por estética, cada peça tem seu porquê de estar na lista.

LEIA MAIS:
FÓRMULA 1: CENA DE GAROTINHO CHORANDO POR ABANDONO DE RAIKKONEN COMOVE TORCIDA NA WEB; ASSISTA

E não é por patriotismo, mas três brasileiros têm seus capacetes representados nesta lista: Emerson Fittipaldi, eAyrton Senna – cujo modelo inspirou ninguém menos do que o do inglês Lewis Hamilton, atualmente na Mercedes – e Rubens Barrichello. Menções honrosas para os cascos utilizados por Nelson Piquet e Felipe Massa, este ainda em atividade a bordo da Williams.

Confira a lista completa abaixo:

1) Ayrton Senna
Uma faixa azul e uma faixa verde em um fundo amarelo, avisatadas no retrovisor, eram mais do que sucifientes para deixar os pilotos inquietos da Fórmula 1? O motivo? Essa era a pintura utilizada por ninguém menos do que Ayrton Senna, tricampeão em 1988, 1990 e 1991 a bordo da McLaren.

2) Michael Schumacher
O maior campeão da história da Fórmula 1 luta, atualmente, pela vida. Mas, nas pistas, fez história não só pelos títulos, mas pelo capacete icônico. Inicialmente, o alemão usava um casco branco, com as cores de seu país, com o topo azul. Mais para o fim da carreira, o capacete era praticamente todo vermelho.

3) Damon Hill
O inglês ganhou o campeonato em 1995, pela Williams, e usando um capacete praticamente igual ao que o pai, Graham, utilizou durante a carreira vitoriosa – é o único piloto a ter títulos no Grande Prêmio de Mônaco, nas 500 Milhas de Indianápolis e nas 24 Horas de Le Mans.

4) Mika Hakkinen
Branco e tons de azul, sobriedade e cores frias. Caracteristicas que remetem ao capacete – e, por que não? – à personalidade do finlandês Mika Hakkinen. Um dos maiores rivais nas pistas da Michael Schumacher, o piloto conquistou dois títulos entre 1998 e 1999.

5) Rubens Barrichello
Por mais que muita gente não dê a Barrichello o devido valor – afinal, o brasileiro sempre será um dos grandes representantes do país a guiar uma Ferrari -, Rubinho teve um dos capacetes mais bonitos do grid por muito tempo. E, diferentemente de boa parte dos companheiros de profissão, quase sem mudanças durante os 19 anos em que guiou na Fórmula 1.

LEIA MAIS:
MASSA ALERTA STROLL PARA DESAFIOS DE MÔNACO

6) Nigel Mansell
O “Leão” tem o privilégio de integrar o clube dos pilotos campeões da Fórmula 1 (1992) e da Fórmula Indy (1993). E tudo isso com um belo capacete, com a bandeira do Reino Unido.

7) Emerson Fittipaldi
Bicampeão na Fórmula 1 (1972 e 1974) e campeão da Fórmula Indy (1989), sendo o primeiro brasileiro a vencer temporadas nas duas categorias. Fittipaldi é história viva do automobilismo. E o capacete é um dos mais bonitos, azul marinho com detalhe vermelho.

8) Jackie Stewart
O escocês colocou sua terra natal no casco que protegia a cabeça. O branco era quebrado por um padrão xadrez típico da Escócia. Com ele, o pilto entrou para a história do automobilismo com três campeonatos conquistados respectivamente em 1969, 1971 e 1973.

9) James Huntr
Campeão da temporada de 1976, uma das mais emocionantes da história da Fórmula 1, o britânico não negava a vaidade no capacete: negro, com o nome escrito em letras gigantes, e com detalhes em azul, amarelo e vermelho. Clássico.

10) Jacques Villeneuve
O canadense é filho de uma lenda do automobilismo, Gilles Villeneuve. E tem mais do que “pedigree” e títulos da Indy (1995) e na Fórmula 1 (1997): um capacete estiloso e cheio de cores.