Lutas

De vencedor a presidiário, conheça o lutador que encontrou forças no MMA para sair da vida criminosa

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução

Que a vida dos lutadores de MMA não é fácil, todos sabemos. Treinos ao limite, alimento controlado, ingestão de água na dose certa, treinos, mais treinos, concentração, recuperação, treinos etc.Esse contexto é da ciência de todos aqueles amantes do esporte, mas um lutador em específico teve que se superar ainda mais, teve que sobreviver à dura regra da vida dos presídios brasileiros, onde quem vive não é apenas o melhor, mas aquele que tem muita força de vontade e garra, esse foi um trecho da vida de Dudu Bastos, o qual, aos 34 anos de idade, foi preso por roubar duas mulheres em Vila Velha no Espírito Santo.

Leia mais.

UFC ABRIRÁ CATEGORIA FEMININA DOS MOSCAS COM EDIÇÃO DO TUF

WOODLEY DISPARA CONTRA RIVAIS: ‘ELES TEM A CHANCE DE LUTAR E NÃO LUTAM

Dudu Bastos era viciado em crack e para sustentar seu vício, praticou pequenos roubos. Uma de suas vítimas era uma policial civil, irmão de um guarda civil metropolitano e esposa de um policial militar. A cadeia ficou próxima.

Após diligências simples, a polícia encontrou a residência de Dudu, fez campana e o prendeu.

Na cadeia a vida não foi fácil. Mas, Dudu tinha uma meta, voltar a lutar e manter sua invencibilidade no MMA.

Para tanto, Dudu usou a cela como pista de corrida, o chão como seu tatame e treinou bravamente. Mas, sua maior luta foi psicológica, para sobreviver e se livrar do vício maldito.

Conseguiu, com o apoio de algumas pessoas, Dudu encontrou força para treinar e para sobreviver ao sistema carcerário, e, após cumprir 1/6 de sua pena, se viu solto, provavelmente por progressão de regime, e agora continua sua batalha para voltar ao octógono.

De fato, Dudu é um campeão, um vencedor na vida, eis que ressurgiu das drogas, nocauteando o crack e demonstrando que, com muita força, a droga é vencível.

Que fique o exemplo para tantos outras pessoas, mormente os atletas.

Aurelio Mendes – @amon78