Vozes da marca

Dirigente do Flamengo sobre o mercado: “Seremos o Barça quando Palmeiras for o Real”

Publicado às

Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.

Crédito: Arte: Torcedores.com

Estudos mostraram recentemente, além do balanço anual de cada clube, que Palmeiras e Flamengo são os representantes brasileiros com melhor saúde financeira da atualidade. Enquanto o Verdão teve no ex-presidente Paulo Nobre um grande trunfo para sanar suas dívidas e isso sem contar o auxílio da Crefisa, o Rubro-Negro também precisou se organizar internamente para driblar a crise econômica.

LEIA TAMBÉM:
Luxemburgo nega estar desatualizado e revela: “Até o Cuca me pede conselho”

Graças a uma política de austeridade por parte do mandatário Eduardo Bandeira de Mello, o Flamengo organizou “sua casa” e também serviu de modelo para muito time grande endividado. Ainda assim, para se sonhar em chegar ao mesmo patamar dos gigantes europeus, é preciso que as receitas do mercado aumentem. É o que afirmou o vice-presidente rubro-negro de finanças, Claudio Pracownik.

COMPARAÇÃO

Na 1ª Conferência Nacional de Futebol (Conafut), realizado em São Paulo, o dirigente fez um paralelo sobre a situação comparando Flamengo e Palmeiras com gigantes da Europa.

“Perguntam para mim quando o Flamengo, com esse faturamento que está hoje em 27º ou 28º do mundo, vai ser o Barcelona. Quando vai ser o Barcelona? Seremos Barcelona quando o Palmeiras for o Real Madrid e vice-versa”, analisou em entrevista ao site da ESPN.

“Não há como os clubes crescerem e virarem Barcelona se o mercado também não crescer. Quando se fala em valores da liga brasileira, R$ 5.1 bilhões, né? Mercado inglês, R$ 15 bilhões, espanhol, R$ 8 ou 9 bilhões! Não há como chegar lá, mas podemos, sim, ser campeões mundiais porque é um jogo, mas para hegemonia é preciso entendimento entre todos dentro dessa visão otimista que tenho”, prosseguiu Pracownik.

De acordo com balancete oficial, o Flamengo apresentou superávit de R$ 153 milhões em 2016, graças às luvas de TV antecipadas da TV Globo. O Palmeiras, por sua vez, surge logo atrás e fechou com saldo positivo de R$ 89 milhões.

Ao contrário do clube da Gávea, o Verdão não renovou com a emissora para o Campeonato Brasileiro de 2019 a 2024, assinando assim com o grupo Turner dos canais Esporte Interativo.

Essa matéria é um oferecimento do canal HISTORY. Assista às noites de carros toda segunda, a partir das 18h30, com episódios inéditos de NA CORRIDA.