Fitness

“Diva Fitness” revela que teve transtorno alimentar e faz alerta sobre a doença

Publicado às

Colaborador do Torcedores

A “Diva Fitness” Carol Porcelli, ex-dançarina do grupo Trio Los Angeles que engordou 10kg em apenas 3 meses, alerta para os riscos de uma doença silenciosa: o Transtorno Alimentar.
“Gostaria de alertar sobre um problema muito sério que a cada dia deixa as pessoas mais e mais doentes. Vim aqui pois eu e muitos amigos passamos por isto, então falo com conhecimento de causa. Por fazermos dietas tão restritas por longos períodos, acabamos por vezes nos acometendo desta doença, pouco falada, pouco conhecida. Por ser atleta e pelas exigências do meu trabalho restringi por muito tempo minha alimentação e acabei vivendo na minha própria pele o Transtorno Alimentar.
 Os Transtornos Alimentares (TA) são transtornos psiquiátricos onde o comportamento relacionado com a alimentação está disfuncional, o consumo e as atitudes alimentares estão comprometidos de tal maneira que a saúde física e mental do indivíduo estão seriamente prejudicadas. A sociedade em que vivemos nos impõe um padrão de beleza onde a aparência física e corpos perfeitos são considerados parâmetros para alcançar sucesso e indicadores de valor pessoal, gerando indivíduos com alta expectativa em relação à própria aparência física e ao mesmo tempo pessoas desprovidas de autoaceitação da imagem corporal. Os pensamentos obsessivos por comida, a preocupação exagerada com calorias, crenças radicais e erradas sobre alimentação, sentimentos inadequados em relação ao alimento, episódios purgativos e a compensação de problemas emocionais através da alimentação são as atitudes mais frequentes observadas entre os pacientes com TA. A restrição de grupos alimentares, rigidez em horários, o rigor extremo na quantidade ingerida, uso de laxantes e diuréticos, a compensação de possíveis exageros alimentares através do aumento da atividade física ou a prática de jejum faz com que atletas fitness, por exemplo, se tornem uma população de alto risco para o desenvolvimento de TA. Muitos desses atletas como eu, após o campeonato usam como ‘prêmio’ a ingestão de quantidades exageradas de alimentos que durante a preparação para a competição foram eliminados de sua rotina alimentar e com isso adquirem ao longo do tempo um comportamento disfuncional em relação ao alimento. E muitas vezes enfrentam sozinhos as consequências dos anos de restrição contra a compensação que se submetem em busca do shape perfeito. Fica a pergunta: o que estamos buscando na realidade? Será que não está na hora de aceitarmos nosso corpo e fazermos as pazes com a comida? Ser atleta é uma profissão a qual tenho muito amor, mas quero alertar que depois da minha última competição desenvolvi o TA. Por viver direta e indiretamente do esporte preciso fazer isto mas quero alertar as pessoas que não são atletas e estão fazendo de tudo para perder peso e atingir o corpo perfeito”, detalha a morena de 34 anos.
“Graças a uma grande amiga, a Dra. Camilla Meizler, que é nutricionista e coach e é especializada em tratar esta doença, pude perceber o que eu estava vivendo. Sem hipocrisia, ao menos 80% dos atletas pós-competição soltam a boca de uma tal forma que chegam a ganhar 10, 15kg em uma semana. Mas a questão não é o atleta em si pois atleta é atleta, é profissional e não tem escolha. O que é preocupante são muitas pessoas ‘comuns’ que hoje têm feito dietas malucas para emagrecer e quando param vem o rebote e a compulsão. Parece que você perde o controle. Quer comer, comer, comer e comer… Se você não é atleta, não faça loucuras pois problemas ainda maiores você criará além do seu peso. Mesmo atletas do culturismo, cheio de músculos, pele seca, não apresentam um ‘corpo real’ já que não conseguem sustentar este padrão por muito tempo. Claro que existem excessões como minha amiga Roberta Zuniga, que admiro demais e sempre está linda e a querida Gracyane Barbosa. Digo que elas são as ‘fora da curva’, são muito disciplinadas e sempre impecáveis com seus corpos praticamente o ano todo. Cito o exemplo dos atletas pois é o mais extremo e o mais fácil de enxergar, não é uma crítica à modalidade que tanto amo, mas sim uma constatação da realidade e uma forma mais fácil de elucidar. Deixo aqui meu alerta a todos que estão restringindo demais sua alimentação, entrando nesta paranoia sem fim e nesta busca frenética pelo corpo perfeito, que não existe. Cuidado!”, completa Carol Porcelli.
Mãe de três filhos, a “Diva Fitness” que tem 104cm de bumbum, 94cm de busto, 68cm de cintura e 63cm de coxa distribuídos por 67kg e 1,66m de altura mostrou seu corpo escultural em um ensaio fitness para a marca Hiit Fit Wear by Carol Porcelli.
Foto: Guilherme Bertoncini / MF Press Global
Foto: Guilherme Bertoncini / MF Press Global
Foto: Guilherme Bertoncini / MF Press Global