Futebol

Entidade brasileira organiza eventos pelo mundo e quer ser “Fifa” do futebol amador

Publicado às

Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Repórter e apresentador da TV Torcedores. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016.

Crédito: Foto: Reprodução/AFIA TV

Se a FIFA é a autoridade máxima do futebol profissional em todo o mundo, uma entidade brasileira quer assumir esse papel no futebol amador. A AFIA (Associação de Futebol Internacional Amador) organiza eventos em vários países do mundo com equipes do Brasil e também dos locais onde essas competições são disputadas. A mais recente foi a Copa AFIA Portugal, realizada entre os dias 29 de abril e 4 de maio, e que teve como ponto alto a final disputada no Estádio do Algarve, uma das sedes da Eurocopa de 2004.

Os campeonatos da AFIA existem desde 1989. O projeto é liderado pelo empresário Rogério Donato, que começou a trajetória de organizar eventos esportivos quando era estudante na PUC-SP. “Nós fizemos eventos naquela época com a TV Jovem Pan, que estava começando. O Milton Leite estava estreando como narrador, o Flávio Prado era comentarista”, contou Donato, que é presidente da AFIA.

A maior parte das competições da entidade nesses quase 30 anos é composta por edições realizadas nas Américas do Norte e Central. Este ano, por exemplo, a Riviera Maya será mais uma sede da Copa AFIA. O torneio já tem todos os times inscritos e confirmados, e vai acontecer em novembro. “Guardadas as devidas proporções e com humildade, a gente quer chegar a isso, ser a Fifa do futebol amador”, afirmou o presidente da AFIA.

Para participar das competições da AFIA, equipes amadoras de todo o país podem se inscrever e comprar os pacotes de viagem. A entidade é um misto de organização esportiva com agência de turismo, o que garante uma estrutura completa aos jogadores e suas famílias, que também são parte do evento. A AFIA organiza atividades durante os campeonatos, as chamadas “Olimpíadas”, que agregam toda a comunidade de atletas e familiares das equipes.

No processo de ampliação, a AFIA agora mira o mercado norte-americano. “O nosso apelido agora, no site, é AFIA Soccer, afiasoccer.com. Nós vamos trabalhar essa parte dos Estados Unidos porque, para mim, é o local que tem maior número de clubes com o perfil que nós temos”, disse o empresário, que enfatizou que a Copa AFIA conta normalmente com a presença de ex-jogadores profissionais. Mas, em regulamento, os clubes só podem contar com dois atletas nessas condições.

“O perfil da entidade é o atleta amador. É o 99,99% daqueles que amam e nunca tiveram condição de ter essa experiência (jogar um evento internacional). Porque o 0,0001% jogou os torneios da Fifa, das federações. E também para preservar. Nós já chegamos a ter times, por exemplo, que veio com Serginho, da Portuguesa, Luis Pereira, Alfredo Mostarda e Vladimir. Aí jogava Romeu, Edu, que jogou no Santos, e aí vai. Acabava polarizando um duelo entre ex-profissionais e não era esse o nosso escopo. O nosso escopo é dar a experiência ao atleta amador, dentro da vida dele”, afirmou Donato.

Além de toda a estrutura que os jogadores ganham, como hotel com o chamado “all inclusive”, com direito a café da manhã, almoço e jantar, a competição em si também tem outros atrativos que ajudam os atletas amadores a completar o cenário de realização desses sonhos. Os jogos têm transmissão ao vivo pela internet e ficam gravados nos site da entidade. A equipe tem narradores e comentarista.

Na parte da arbitragem, a AFIA conta com nomes conhecidos no cenário nacional. A última competição, em Portugal, teve a presença de Luciano de Almeida, que integrou o quadro da Fifa entre 1998 e 2004, além de dois analistas da CBF que também apitaram jogos importantes do futebol brasileiro nas últimas décadas: Eduardo César Coronado e Marcelo Rogério.

Os próximos eventos da AFIA vão acontecer em Salvador, na Bahia, Riviera Maya, no México, e Palma de Mallorca, na Espanha.