Mídia Esportiva

Jornalista da ESPN fala sobre experiência de treinar uma semana em um clube de futebol

Publicado às

Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)

Série B

Crédito: Foto: Reprodução/ESPN

Antes de ingressar na TV, Arnaldo Ribeiro, comentarista e chefe de redação da ESPN, era um jornalista esportivo de revista renomado. Uma das matérias mais marcantes foi publicada na “Placar”, em 2000, quando treinou durante uma semana no Rio Branco de Paranaguá, clube que disputava a série C do Campeonato Brasileiro.

Em entrevista exclusiva ao Torcedores.com, o jornalista contou que a “Placar” se inspirou na revista inglesa “FourFourTwo”, que meses antes havia publicado uma matéria sobre um repórter que passou por uma semana num clube inglês.

“A matéria era do car…., mas ele não chegou a trabalhar com bola com o time dele. Diria assim que fez a primeira semana da pré-temporada, só o aspecto físico”, disse.

Segundo Ribeiro, o diferencial da publicação brasileira foi que o jornalista tivesse a experiência com a bola.

“Queríamos tentar ter essa imersão de uma semana num time, mas também que tivesse o contato com a bola porque os caras me julgavam um bom jogador, o que era cascata. Conseguimos o aval do Rio Branco de Paranaguá, que disputava a série C na época, mas tinha uma espécie de intertemporada. Me aceitaram receber uma semana antes de entrar no mata-mata da competição, contra o Olímpia, de São Paulo”, completou.

Ribeiro passou por “maus bocados” durante os sete dias na agremiação paranaense. Era nítido para muitos a sua falta de técnica.

“Passei uma semana, o técnico era o Gassem, que foi zagueiro do São Paulo. Batia pra caramba quando jogava. Só que eu bato mais que ele e ficaram impressionados com isso. Como era semana preparatória para o jogo, tinha desde o começo treino físico, que era um teste no Morro do Macaco, em Paranaguá, e você vai intensificando o contato com a bola até os preparativos finais para o jogo e eu participei de tudo”, contou.

De início, apenas Gassem e os dirigentes sabiam que Arnaldo era um jornalista infiltrado no treinamento.

“A conversa era que eu jogava futebol nos Estados Unidos, filhinho de dirigente e que iria passar uma semana treinando com os caras. Então já foi ruim para mim esse batismo”, acrescentou.

“No quarto dia, evidentemente, os caras me descobriram, deram trote, ovadas. Teve um coletivo que fui péssimo na véspera do jogo. Tinha torcida no estádio da Estradinha. Dei uma furada espetacular. A galera disse. ‘quem é esse alemão grosso?’ Era eu”, sentenciou.

Ribeiro avaliou a experiência como enriquecedora e disse ter entendido outros aspectos do futebol.

“Foi bem divertido. Serviu ainda mais pra entender a realidade nua e crua do futebol, ter menos aquela percepção distante que você vê pela televisão e mesmo pelas entrevistas do que a prática e a vivência num clube. Mesmo que tenha sido por uma semana, você consegue enxergar como são os códigos dos jogadores, como o Sorín gosta de falar”, explicou o jornalista, que além da revista “Placar” teve passagens pelos jornais “Notícias Populares”, “Folha de S.Paulo” e “O Estado de S. Paulo”. Desde 2005, ele integra o quadro de funcionários da ESPN Brasil.