Futebol

Alexandre Mattos opina sobre má fase de Borja no Palmeiras

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Palmeiras

Crédito: Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

Há cinco partidas sem balançar as redes pelo Palmeiras – a última vez foi contra o Novorizontino, pelas quartas do Paulistão -, o centroavante Miguel Borja começa a receber críticas de boa parte da torcida alviverde e pode perder sua vaga no time titular em breve. No entanto, o diretor de futebol Alexandre Mattos, principal responsável pela contratação do colombiano, no início da temporada, defendeu o camisa 12.

De acordo com o dirigente, a adaptação do jogador ao futebol brasileiro e também sua personalidade têm atrapalhado seu rendimento em campo.

LEIA MAIS:

MATTOS NEGA QUE TENHA PRESSIONADO EDUARDO BAPTISTA PARA ESCALAR RÓGER GUEDES
JORGE WILSTERMANN X VERDÃO: ACOMPANHE O PLACAR AO VIVO
1993 OU 1999? EVAIR DIZ QUAL FOI O TÍTULO MAIS IMPORTANTE QUE GANHOU PELO VERDÃO
ÍDOLO NO VERDÃO, EVAIR ADMITE QUE TORCIA PARA RIVAL NA INFÂNCIA
MAURO BETING NÃO POUPA FELIPE MELO POR APOIO A BOLSONARO: “MELHOR FICAR MUDO”
ALVIVERDE CONTRATA LATERAL REVELAÇÃO DO INTERIOR PAULISTA

Ele está passando por um período de adaptação. É um cara alegre e é bastante introvertido também. Ele conversa mais com o Guerra e com o Mina, mas ainda está com muita dificuldade pela língua e com a adaptação“, explicou Mattos, que, no entanto, aposta no sucesso de Borja no Palmeiras, em entrevista ao programa “Arena”, do SporTV.

Pelos valores [da negociação], gerou muita expectativa. Mas pelo histórico, poucos jogadores conseguiram chegar e jogar bem, os estrangeiros demoram um ano e um ano e meio para se adaptarem“, continuou o diretor do Palmeiras.

Estamos dando toda a estrutura e tranquilidade para ele se adapte rápido. Podem ter certeza que ele vai decidir muitos jogos para o Palmeiras ainda. Está evoluindo e melhorando e dando o melhor para o Palmeiras“, finalizou.

Borja foi contratado do Atlético Nacional-COL por US$ 10,5 milhões por 70% dos direitos sobre o jogador. Tudo pago pela Crefisa.