Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

No aguardo do UFC, brasileira promete: “Vou chegar metendo o pé na porta”

A tão esperada estreia no UFC teima em não sair. Após ser contratada pela organização como campeã do peso mosca do XFC, a mineira Poliana Botelho já tinha data marcada para estrear: 10 de dezembro, contra a canadense Valerie Letourneau, no UFC 206. Porém, uma lesão na mão a tirou do card e, até agora, a lutadora ainda espera para subir no octógono pela primeira vez.

Redação Torcedores
Textos publicados pela Redação do Torcedores.com.Contato: redacao@torcedores.com

Crédito: Poliana Botelho durante pesagem no XFC (Foto: Reprodução/Facebook oficial do XFC)

LEIA TAMBÉM
Jéssica Andrade já tem a receita para vencer Joanna e conquistar cinturão no UFC
Mackenzie Dern projeta estreia no UFC em 2017 e planeja carreira de comentarista
“Não me surpreenderia se o McGregor vencesse o Mayweather”, diz Minotauro

“Eu até cheguei a pedir para lutar no UFC 212, no Rio, mas eles não casaram essa luta. Eu dei uma machucada no mesmo lugar que eu tinha machucado e agora estou esperando recuperar 100% pra já pedir luta, mas não tenho nada em vista ainda não”, revelou a mineira, em entrevista exclusiva ao Torcedores.com.

Como o peso mosca feminino (até 56kg) é uma categoria que ainda não existe no UFC, a atleta da academia Nova União vai descer para lutar no peso palha (até 52kg), cuja campeã é a polonesa Joanna Jedrzejdzyk. Invicta, a atual campeã tem compromisso marcado contra a brasileira Jéssica Andrade para o UFC 211, no próximo dia 13 de maio. Poliana espera causar estrago na categoria e manda um recado para Joanna.

“Eu estou querendo que ela guarde o cinturão direitinho para mim lá que eu estou chegando (risos). Eu estou falando que eu estou demorando a chegar, mas quando eu chegar eu já vou chegar chutando a porta!”, provocou Poliana Botelho.

Sobre Poliana Botelho

Faixa preta de Muay Thai, a lutadora fez sua primeira luta profissional no MMA em 2013. De lá para cá, Poliana acumulou um cartel de cinco vitórias (todas por nocaute ou nocaute técnico) e apenas uma derrota. No XFC, a mineira de Muriaé, conquistou seu cinturão com uma bela vitória sobre Antonia Silvaneide “Marretinha” e defendeu numa verdadeira batalha contra a argentina Silvana Juarez.