Futebol

Presidente do Flamengo reclama que não tem acréscimo como Palmeiras na Libertadores

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

O presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, esteve reunido com o presidente da Conmebol, Alejandro Dominguez, na última terça-feira (2) para tratar de assuntos relacionados a Copa Libertadores. Na oportunidade, o mandatário aproveitou para reclamar da falta de critério na questão dos acréscimos da competição.

LEIA MAIS:
“Copa Peru”: vitória do Flamengo na Libertadores é destaque na imprensa
Veja o que os comentaristas de TV falaram da vitória do Flamengo na Libertadores

Segundo o blog do jornalista Rodrigo Mattos, Bandeira de Mello lembrou que houve acréscimos máximos de três minutos nos dois jogos em que o time foi derrotado, contra Atlético-PR e Universidad Catolica, apesar de terem supostamente ocorrido fatos que deveriam gerar mais tempo de jogo.

O dirigente do rubro-negro usou como exemplos os jogos do Palmeiras contra Peñarol e Jorge Wilstermann, ambos no Allianz Parque, que tiveram acréscimos de 5 minutos ou mais. Contra os uruguaios, o jogo foi até os 54 minutos e, contra os bolivianos, até 50 minutos. Nas duas partidas, o Verdão venceu com gols nos últimos lances.

De acordo com o blog, Bandeira não disse que os acréscimos para o Palmeiras eram erros da arbitragem, mas alegou que, se esse era o critério da competição, deveria ser adotado da mesma forma para jogos do Flamengo.