Extra-campo

Promotoria da Espanha pede dois anos de prisão e R$ 35 milhões de multa para Neymar

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Crédito da foto: Reprodução/Facebook oficial do Neymar Jr

Nesta quinta-feira, teve inicio o julgamento do craque brasileiro Neymar, seus pais, o presidente do Barcelona (Josep María Bartomeu), seu antecessor (Sandro Rosell), o Barcelona e também o Santos por corrupção.

O juiz da Audiência Nacional da Espanha, José de la Mata já impôs uma fiança de 3,4 milhões de euros (quase R$ 12 milhões) ao Bartomeu, Rosell, Barcelona, Santos e ao Odilio Rodrigues, ex-presidente do Peixe.

LEIA MAIS:
SEM JOGAR, GABIGOL GANHA APELIDO INUSITADO DE JORNAL ITALIANO
“FOI UMA DAS MAIORES EMOÇÕES DA MINHA VIDA”, DIZ BETING SOBRE COBRIR REAL X BAYERN IN LOCO

Esse julgamento está sendo realizado por conta da denúncia feita pelo grupo DIS, que possuía 40% dos direitos federativos de Neymar e teve apenas cerca de € 6,84 milhões recebidos pela sua porcentagem sobre o valor base da transferência, € 17,1 milhões. O grupo, no entanto diz que o negócio envolveu valores maiores e, por esse motivo deve receber uma quantia maior.

De acordo com a ESPN.com.br promotoria da Espanha já definiu que vai pedir dois anos de prisão e 10 milhões de euros (R$ 35 milhões) de multa para Neymar e mais uma condenação de cinco anos de encarceramento para Sandro Rosell pelos crimes de corrupção e desvio de dinheiro do grupo DIS na negociação do atleta.

O promotor que está cuidando do caso, José Perals, também pede 8,4 milhões de euros (R$ 29 milhões) de multa para o Barça e mais 7 milhões de euros do Santos (R$ 24,5 milhões).

José ainda exige dois anos de prisão para o Neymar pai e um ano para a mãe do jogador brasileiro. Os dois por corrupção.

A empresa N&N responsável pelo acerto da transação do atleta com o Barcelona, também está sendo cobrada pela quantia de 1,4 milhão de euros em multa.