Esportes Olímpicos

Sesi dispensa estrelas, diminui investimento e sonha com ídolo de equipe rival

Publicado às

Colaborador do Torcedores

A equipe do Sesi São Paulo, a cada temporada que passa, muda se o grupo e as novas expectativas. As ambições, aparentemente, são menores do que se pressupõe. Os paulistas não renovarão o contrato do levantador Bruno Rezende que provavelmente voltará para equipe italiana do Modena. Lucão é outro que não interessa ao clube paulista, o mesmo roteiro segue o experiente Murilo Endres que sofreu com lesões durante a temporada e a chegada de um levantador que seria um verdadeiro ‘boom’ para as pretensões do clube paulista.

O que rodeia os bastidores do vôlei nacional é a contratação do levantador William Arjona do Sada Cruzeiro, o jogador que é ídolo celeste já teria muita coisa encaminhada com o time da Vila Leopoldina, só com detalhes de fechamento no contrato. Piá, Franco, o central Gustavão, Alan, são os novos nomes no time paulista. Outro sonho é o central do Taubaté, Éder, que defendeu a equipe há algumas temporadas.

Serginho, nome quase unânime é o mais próximo para permanecer. Douglas é outro que deve permanecer, o jovem atleta tem se destacado, sendo esperança para o Sesi. com uma lesão sofrida durante a fase de playoff fez muita falta para os ‘diabos vermelhos’ que viram o poder de fogo e passe, se sucumbindo a forte pressão do Taubaté. Riad ainda discute o contrato e um possível acerto, ainda não definido. Rubinho é o nome da vez pra liderar a equipe, com a saída de Marcos Pacheco, o clube pretende renovar de forma literal, começando pela parte de gestão, comissão técnica e posteriormente, atletas. Com o mercado em plena ebulição é fato, que vários jogadores virarão pauta, serão oferecidos, com uma definição, em semanas, ou até meses, já pensando na próxima temporada.

O Sesi foi eliminado pelo o Funvic Taubaté, que vem se tornando um verdadeiro pesadelo, em suas pretensões. Com derrotas em várias competições, a equipe da capital já pensa numa estratégia: tirar os grandes jogadores dos rivais, como os citados William e Éder, ambos jogam no Cruzeiro e a equipe do Vale do Paraíba. A tática de tirar atletas vem surtindo algum efeito, especialmente para a equipe do interior paulista, que decidiu e conquistou várias competições, especialmente o estadual e a Copa Brasil.