DESTAQUE

5 sinais de que a queda de Eduardo Baptista era questão de tempo

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Eduardo Baptista

Crédito: César Greco / Ag.Palmeiras / Divulgação

O Palmeiras oficializou a demissão do técnico Eduardo Baptista na noite desta quinta-feira, 4. A notícia se deu horas após o desembarque da delegação alviverde em São Paulo. No Verdão desde dezembro de 2016, o profissional deixa o time palestrino depois de comandar a equipe no Campeonato Paulista e no início da Copa Libertadores.

Em pouco menos de cinco meses no cargo, Eduardo Baptista comandou o Palmeiras em 23 oportunidades, somando 14 vitórias, quatro empates e cinco derrotas. Ao todo, o aproveitamento do treinador chegou a 66,6%, número expressivo para um técnico demitido.

LEIA MAIS
Cuca avisa que está fechando com futebol chinês
Palmeiras repete 2016 e demite treinador para “salvar” Libertadores

Apesar disso, alguns acontecimentos no clube já deixavam indícios de que a demissão do treinador era iminente. O Torcedores.com reúne aqui cinco sinais de que a queda de Eduardo Baptista era questão de tempo no Palmeiras.

CARREIRA

Desde quando foi contratado, Eduardo Baptista sofreu com as críticas dentro e fora do Palmeiras. Muitos alegavam que o treinador não tinha a experiência necessária na carreira para comandar o Verdão. Alguns chegaram a dizer que “o time é um boing comandado por um piloto de teco teco”.

CORINTHIANS

A derrota para o arquirrival na fase de grupos do Paulistão não caiu bem. Principalmente porque o Timão é considerado hoje por muitos a “4ª força de SP” e ainda venceu com um jogador a menos. A pressão sobre Eduardo Baptista se intensificou.

PAULISTÃO

Apesar das críticas, o Palmeiras foi conseguindo os resultados no estadual e terminou a primeira fase como a melhor equipe da competição. A eliminação para a Ponte Preta na semifinal, no entanto, não foi bem digerida internamente, uma vez que era objetivo do clube conquistar o caneco que não vem desde 2008.

SOFRIMENTO

Na Copa Libertadores, o Palmeiras esta praticamente classificado. No entanto, as vitórias “na bacia das almas” contra Jorge Wilstermann e Peñarol (2x) não foram bem digeridas. É claro que os três pontos valeram, mas o entendimento no clube é de que o time pode render bem mais, sem necessariamente ter de passar tanto sufoco.

JORGE WILSTERMANN

Agota d’água, sem dúvida. O Palmeiras jogou mal e foi derrotado pelo modesto time boliviano por 3 a 2. Pior seria se o atacante Cabezas não tivesse marcado contra a favor do Verdão. Ali ficou escancarado que a diretoria teme jogos ruins como esses em fases mais importantes da competição sul-americana, a “obsessão” do clube e torcida.

MAIS INFORMAÇÕES

Poderíamos citar ainda a forte entrevista coletiva de Eduardo Baptista após o último jogo contra o Peñarol, no Uruguai. Mas como a situação foi atípica – por conta da briga generalizada – muito provavelmente este tenha sido um fator desconsiderado pela diretoria.

Entre torcedores surge um sexto fator: Cuca. O ex- treinador alviverde já está novamente disponível no mercado e, por conta disso, teria motivado a diretoria do Verdão a demitir Baptista. A informação de momento é de que Cuca está praticamente acertado com a China, segundo palavras do próprio técnico. Veja aqui.

O Torcedores.com segue acompanhando os bastidores do Palmeiras e trará as informações atualizadas durante as próximas horas desta sexta-feira. O presidente palestrino, Mauricio Galiotte, concederá entrevista coletiva na Academia de Futebol.

Foto: César Greco / Ag.Palmeiras / Divulgação