Futebol

Da ira de Fabrício ao tombo de Cuca: relembre cinco curiosidades de Palmeiras x Inter

Publicado às

Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.

Palmeiras x Inter

Crédito: Foto: Reprodução/Premiere FC

Em um dos jogos mais esperados da noite desta quarta-feira, Palmeiras x Inter abrem a disputa de oitavas de final da Copa do Brasil no Allianz Parque, em São Paulo, a partir das 21h45. Como nem poderia ser diferente entre duas grandes equipes do futebol brasileiro, os últimos confrontos entre alviverdes e colorados têm sido marcado por emoções dentro e fora de campo.

Como forma de aquecer os motores para o jogão de logo mais, o Torcedores.com reuniu neste post cinco fatos curiosos que marcaram a história recente de Inter x Palmeiras. Vamos a eles:

LEIA MAIS:

Imprensa gaúcha admite favoritismo do Palmeiras sobre o Inter: “Melhor do Brasil”

Jornalista “tira” Inter da briga na Copa do Brasil: “Sabe qual a chance de ganhar? Zero”

Alfinetada de Renato Gaúcho em colorada Renata Fan repercute nas redes sociais

1° – FABRÍCIO SURTADO

O temperamento forte de Fabrício sempre foi uma de suas marcas registradas, e até acabou custando sua permanência no Inter. Em 2014, já na reta final do Brasileirão, o então lateral colorado se descontrolou com o meia Bruno César, que defendia o Palmeiras. Veja a treta a partir de 1:58.

2° – O TOMBO DE CUCA

Com a famosa calça vinho, Cuca tentou dominar uma bola no Beira-Rio na partida do ano passado pelo Brasileirão. Só não contava com o sapato escorregando…

3° – A MÃO DO PIRATA

Na briga contra o rebaixamento em 2012, o que mais tarde viria a se confirmar, o Palmeiras tentou de tudo para escapar. Barcos até tentou com a mão, gerando uma grande polêmica no Beira-Rio.

4° – DUNGA, O HERÓI

O Inter passou muito perto de ser rebaixado em 1999. Precisou de um gol salvador de Dunga, no Beira-Rio, para escapar. Pela frente, mais uma vez, o Palmeiras.

5° – SÃO MARCOS EM DIA DE AMIGO

Em 2004, pela segunda rodada do Brasileirão, o goleiro Marcos foi o principal amigo dos colorados. Em um jogo tenso e equilibrado, o 0x0 predominava até que ele “deu” uma assistência para Nilmar fazer o gol da vitória gaúcha.