Futebol

‘Trocado’ por Borja, Barrios brilha fora do Palmeiras e já supera o colombiano

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Barrios

Foto: Palmeiras

Crédito: Foto: Lucas Uebel/Divulgação

O paraguaio Lucas Barrios chegou ao Palmeiras com status de ídolo, em julho de 2015, e apesar de ter sido importante da conquista da Copa do Brasil naquele ano, o jogador nunca caiu nas graças da torcida e teve seu desempenho prejudicado por causa das seguidas lesões.

No início de 2017, com a saída de Gabriel Jesus, havia uma expectativa de que o ex-camisa 8 pudesse ter mais oportunidades no time titular, porém, com as chegadas de Willian e posteriormente de Miguel Borja, Barrios optou por deixar do Palmeiras em busca de mais tempo em campo jogando pelo Grêmio, visando um retorno à seleção paraguaia.

Pelo Tricolor gaúcho, Barrios disputou 13 jogos, entre Campeonato Gaúcho, Primeira Liga e Libertadores, e já marcou sete gols – três no Gauchão e quatro na Libertadores. O camisa 18 tem uma média de 0,5 gols por jogo.

Apenas dois meses após sua estreia pelo Grêmio, Barrios já tem a metade dos gols marcados com a camisa do Palmeiras em um ano e meio que ficou no clube paulista.

Em recente entrevista ao jornal Zero Hora, o paraguaio falou sobre a adaptação ao futebol gaúcho e afirmou que não se arrepende de ter se transferido do Palmeiras.

“Uma das melhores decisões que eu tomei foi de vir ao Grêmio. Hoje, a parte econômica não é tão importante para mim. O importante é ser valorizado, sentir-se útil em um time. Muitos me perguntaram porque fui embora do Palmeiras. Mas é natural quando você não tem sequência. (…)Eu precisava me sentir importante. E o Grêmio me deu muito valor, não tive dúvidas em vir”, disse Barrios.

Já Miguel Borja, contratado por R$ 33 milhões, ainda não conseguiu se adaptar ao sistema de jogo do técnico Eduardo Baptista e está encontrando dificuldades para desempenhar todo seu futebol. O colombiano também já disputou 13 jogos em 2017, porém, marcou apenas quatro gols – todos no Paulistão. A média de gols do camisa 12 é de 0,3 gols por partida.

O atacante chegou a ficar no banco de reservas na partida contra o Jorge Wilstermann, da Bolívia, pela 5ª rodada da Libertadores.