Cartola FC

Usando a “Seleção dos Mais Escalados” ao seu favor

Publicado às

Editor Chefe do site Mundo Fantasy, estudou Relações Internacionais na PUC-SP e Economia na USP. É fanático por todos os Fantasys Sports, em especial os da NBA.

Tenho visto um grande número de cartoleiros fazerem seus comentários nas redes sociais a cerca da página ‘Seleção dos Mais Escalados” do Cartola FC. Alguns elogiam e falam que é uma boa ferramenta a ser utilizada antes de escalar sua equipe no Fantasy. Já outros rasgam críticas e dizem que esse tipo de informação não deveria ser divulgada durante a fase de escalação dos times, pois atrapalha a estratégia do jogo e gera uma tendência de escalações repetitivas.

Post na página oficial do Facebook do CartolaFC falando sobre o site que mostra os mais escalados da rodada.

Essa parte da estratégia tem um pouco de verdade. Como exemplo vou citar os sites americanos de Fantasy Sports DraftKings e FanDuel, que não divulgam esse tipo de informação até o fechamento do mercado dos torneios. Quando se encerra o período de escalação dos times aí sim esse tipo de informação aparece, mas na forma de percentual dos jogadores escalados e não em números absolutos. Veja o exemplo de uma escalação no site DraftKings:

Exemplo de uma escalação de Fantasy da NBA no site DraftKings. Repare que somente após o fechamento do mercado é que são mostrados aos jogadores as informações de quantos jogadores escalaram um determinado atleta e aparece em percentual.

No exemplo acima repare que o atleta Marcus Smart está escalado em 86% dos times que estão disputando essa competição de Fantasy da NBA. O importante aqui é frisar que essa informação só fica disponível após o fechamento do mercado.

Agora falando sobre a página do Cartola FC você pode até achar injusto a divulgação desse tipo de informação, mas conhecendo bem a organização do Fantasy isso não deve ser revertido e a página irá continuar no ar. Então o que fazer? Usar essas informações ao seu favor!

Eu acredito que essa página é uma ferramenta poderosa e que se você souber utilizá-la corretamente poderá ganhar uma grande vantagem sobre seus adversários. Então vou explicar que tipo de informações eu pego dessa página e como eu contra-ataco as escalações adversárias.

O contra-ataque é saber quem não escalar no meu time. Isso mesmo! Analisando a lista dos jogadores mais escalados e uma série de informações de utilizo para escalar meu time eu vejo essa lista e sei exatamente como contra-atacar os adversários ao escalar jogadores diferentes daqueles que estão na crista da onda. Logo na primeira rodada já utilizei essa tática e não escalei Jô, que foi o mais escalado, e no lugar dele escalei Henrique Dourado, que fez muito mais pontos que Jô (15,9 contra 6,7) e também valorizou bem mais (C$8,91 contra C$3,28).

Como exemplo vou usar o jogador Lucas Limas, do Santos, que é o meia mais escalado até o fechamento dessa matéria. Ele está com um preço bem atrativo (C$ 5,23) e muitos apostam que ele possa pelo menos dar uma assistência nessa partida para que ele valorize e também faça uma pontuação razoável.

Só que eu não vejo dessa maneira. O Santos terá uma partida difícil contra o Coxa e não espero um bom desempenho de Lucas Lima nem de boa parte do time da Baixada Santista. Acredito, inclusive, que ele pode cometer algumas faltas, errar passes e até levar cartão amarelo dependendo da postura do time em campo e ele tende a reclamar com juiz quando o Santos não está tendo um bom desempenho em campo.

Fazendo essa análise eu descarto totalmente a possibilidade de escalá-lo em meu time e parto para o contra-ataque. Um jogador que eu acredito que tem um potencial bem maior que Lucas para ir bem e está na mesma faixa de preço que ele é Bruno Silva, volante do Botafogo. Além de ser um jogador com bom potencial de conseguir roubadas de bola ainda pode dar assistência e quem sabe um gol (ele já tem 2 gols nessa temporada). E eu também acredito que o Botafogo terá vida mais fácil jogando em casa contra a Ponte Preta, que vai muito bem em casa e geralmente perde o rumo quando joga fora de casa.

Outro contra-ataque que eu faria é não escalar Pedro Geromel, zagueiro do Grêmio. Isso porque o Grêmio enfrenta o Atlético-PR fora de casa e na grama sintética e já vimos ano passado que o Furacão fez de sua casa seu grande aliado. Mesmo o Grêmio tendo um bom sistema defensivo acho muito difícil ele não levar gols nessa partida, o que faria com que a pontuação de Geromel fique comprometida.

Então o que faço? Contra-ataco! Na mesma faixa de preço de Geromel (C$ 7,00) eu escalaria o zagueiro Igor (C$ 5,80), do Sport, que foi bem na primeira partida em termos de Cartola. Ele roubou 4 bolas e cometeu apenas duas faltas. Jogando em casa contra a equipe do Cruzeiro, que deve vir bem desfalcada, principalmente no setor ofensivo, acredito que ele possa manter o saldo de gols e ainda conseguir algumas roubadas de bola.

Eu uso essa estratégia do contra-ataque da escalação há algum tempo e venho me dando bem nas ligas que disputo. O importante dessa estratégia é sempre analisar bem os atletas antes de escalar. As vezes um atacante que está na posição de mais escalado acaba se tornando um jogador obrigatório em seu time, mas eu sempre encontro boas opções de contra-atacar a crista da onda e escalar uma equipe melhor e o principal, diferente dos meus concorrentes.