DESTAQUE

Veja 7 lições que o Santos pode tirar da vitória pela Libertadores

Publicado às

Estudante de Jornalismo. Setorista no Torcedores.com do Santos e Botafogo.

Santos pendurados

Crédito: Foto: Ivan Storti/ Santos FC

Na noite de quinta-feira, o Santos fez o que tinha de fazer e bateu o Santa Fe pelo placar de 3 a 2, em jogo válido pela quarta rodada do Grupo 2 da Copa Libertadores da América, o duelo aconteceu no estádio do Pacaembu, em São Paulo. Apesar do triunfo, o Peixe cometeu erros inaceitáveis para um time que deseja levantar essa taça pela quarta vez em sua história, portanto, o Torcedores.com, mostra 7 lições que essa partida deixou.

1-

O Alvinegro Praiano logo no início do jogo fez 1 a 0 com o atacante Ricardo Oliveira, após lindo passe de Lucas Lima, em vez de continuar pressionando para liquidar a fatura, diminuiu o ritmo, não marcou em cima a saída de bola dos colombianos, não tentou imprimir um ritmo maior na partida e isso quase custou caro.

LEIA MAIS:

VEJA QUE O SANTOS PRECISA FAZER PARA GARANTIR SUA VAGA NAS OITAVAS DA LIBERTADORES

DORIVAL AGRADECE APOIO DA TORCIDA DO SANTOS NO PACAEMBU: “DEU UM SHOW”

VEJA A CLASSIFICAÇÃO ATUALIZADA DO SANTOS NO GRUPO 2 DA LIBERTADORES

2-

O grande poder do Santa Fe é a bola parada para os chutes de longe e o chuveirinho na área, de forma afobada, imatura e precipitada o Santos sem necessidade fez várias faltas, em uma dessas o time colombiano fez o seu segundo gol de cabeça, em uma falha medonha da defesa santista.

3-

Falta de combate no meio-campo foi outro fator para o Santos ter sofrido na partida, o Santa Fe tinha muito espaço para trabalhar a bola e fez a torcida do Peixe levar vários sustos. Se repararem no primeiro gol do Independiente, o espaço que se deu para o Jonathan Gómez acertar o travessão de fora da área, foi um erro juvenil, no rebote os zagueiros do Peixe vacilaram e o time acabou sofrendo o gol.

4-

No segundo tempo, o Santa Fe controlou a partida, o Alvinegro Praiano não conseguia ter calma e era afobado quando tinha a bola no pé, só mudou o panorama depois dos 15 minutos, em que o Santos foi foi com tudo a ataque e aos 32, foi premiado com o gol da vitória.

5-

Bola área voltou a assombrar a defesa santista, toda bola cruzada, escanteio, falta lateral, era um perigo de gol iminente, não foram falhas só da dupla de zaga, mas de todo um sistema defensivo, Dorival precisa corrigir isso.

6-

Santos sofreu sem o Zeca que está machucado. O lateral Matheus Ribeiro nem atacou com qualidade e muito menos mostrou-se seguro na defesa, tomou várias bolas na costas e em um lance quase o Peixe toma um gol em seu setor. Na etapa final, Copete jogou por ali improvisado e quase coloca tudo a perder quando é desarmado no campo de defesa, dando um contra-ataque ao Santa Fe, felizmente para os santistas o adversário não foi feliz na finalização.

7-

Lucas Lima acabou com o jogo, melhor em campo disparado, ele se movimentou, buscou jogo, finalizou e foi dele as assistências para os gols de Ricardo Oliveira e Vitor Bueno. A partida que o camisa 10 da Vila Belmiro fez foi tirar o chapéu, fazendo o torcedor se lembrar das suas grandes apresentações pelo clube. Com ele bem e focado em apenas jogar futebol, o Peixe é um forte candidato ao título da Libertadores.