Agulhas e joelhadas: o jogo sujo de time da 4ª divisão para eliminar o Estudiantes

Existe uma lenda na Argentina que, nos anos 60, o então meia do Estudiantes Carlos Bilardo (que viria a ser o treinador da seleção campeã mundial em 86) entrava em campo com alfinetes para espetar seus rivais, principalmente em lances de bola parada. No último domingo, o próprio Estudiantes foi vítima dessa artimanha, na partida em que foi derrotado pelo Pacífico, da quarta divisão, e eliminado da Copa Argentina.

Renato Senna
Colaborador do Torcedores
Circulam imagens na internet mostrando Federico Allende possivelmente segurando um alfinete, que teria usado para espetar o atacante do Estudiantes Juan Otero (Foto: Reprodução/YouTube)

Crédito: Circulam imagens na internet mostrando Federico Allende possivelmente segurando um alfinete, que teria usado para espetar o atacante do Estudiantes Juan Otero (Foto: Reprodução/YouTube)

LEIA MAIS
Saiba tudo sobre o sorteio das oitava de final da Libertadores
50 momentos que farão você sentir saudades da Copa do Mundo de 2014

O zagueiro Federico Allende contou, em entrevista à Rádio Vorterix de Córdoba, que entrou em campo com dois alfinetes na caneleira para espetar os jogadores do Estudiantes de La Plata. A vítima escolhida foi o atacante colombiano Juan Otero.

“Tive que recorrer ao truque à la Bilardo… Agulhas! Matei Otero, mas que vocês queriam que eu fizesse? Sabíamos que tínhamos que fazer um jogo sujo e eu espetava os atacantes do Estudiantes com agulhas. Sabemos que o jogador de primeira divisão não gosta de contato, que você gaste o tempo, que você jogue sujo. Vimos que essa era a forma, o futebol é assim”, revelou o zagueiro na entrevista.

Auxiliar riu das reclamações de atacante do Estudiantes

O colombiano Juan Otero contou que ficou incrédulo com a artimanha usada por Allende, que ria e se vangloriava do ato.

“Contei ao Toledo (outro atacante do Estudiantes) para que ele tivesse cuidado. No final do primeiro tempo, briguei com Allende por causa disso. Falei para ele: ‘isso é futebol, não uma máfia’. Toda vez que eu virava de costas, ele me espetava. Espero que ele me ligue para pedir desculpas. Entendo que se jogue a vida, mas jogando futebol, não te espetando com um alfinete. Ele me disse “futebol é para os espertos” e me deu duas joelhadas na coluna. Graças a Deus não me machucou”, disse o colombiano.

Otero também revelou que reclamou com o árbitro, que não lhe deu atenção, e com o auxiliar, que não acreditou e riu da queixa do atacante.

“Falei ao juiz e ele não me deu atenção. Reclamei com o bandeirinha, ele ria e me deu uma bronca. Eles achavam que era mentira. Pedi para que meus companheiros falassem com o árbitro, mas ele não levava a sério. Então o Desábato falou com o juiz e aí ele aquietou. Foi só no primeiro tempo. Parece que o árbitro lhe disse algo no segundo tempo”, revelou a vítima do zagueiro.

Zagueiro volta atrás e diz que declaração foi uma brincadeira

Depois de toda a polêmica, em entrevista ao Diário Olé, o zagueiro negou que tenha entrado em campo com uma agulha e que tenha espetado o atacante do Estudiantes. Allende afirmou que suas declarações anteriores não passaram de uma brincadeira.

“É mentira, não o espetei. O primeiro erro foi meu ao fazer uma piada que viralizou. É verdade que houve algum encontrão entre mim e Otero e que lhe dei algumas entradas, mas não teve mais nada. Estou vivendo um momento ruim depois da dimensão que isso tomou”, corrigiu o zagueiro.