Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Carioca, César Maluco explica por que trocou o Flamengo pelo Palmeiras

Segundo maior artilheiro da história do Palmeiras, César Maluco admitiu, em entrevista exclusiva ao Torcedores.com, que seu sonho inicial como jogador era atuar pelo Flamengo. Nascido em Niterói, o ex-atacante foi revelado nas categorias de base da Gávea, porém não ficou por muito tempo defendendo o time do coração. Motivo? O então jovem César Lemos exigia jogar no time profissional na vaga do badalado Silva.

Redação Torcedores
Textos publicados pela Redação do Torcedores.com.Contato: redacao@torcedores.com

Crédito: Imagem: Reprodução Esporte Interativo

“Sou muito grato ao Flamengo por ter me dado a base. Mas eu brigava muito com o treinador na época, porque eu queria jogar, queria vencer. E naquela época, não tinha substituição. Brigava sempre para estar entre os 11, e não aceitava ter que jogar pelo profissional no domingo para voltar a treinar com o time juvenil na segunda”, lembra César.

LEIA TAMBÉM:
Felipe Melo passará por cirurgia na mão e desfalca Palmeiras por mais de um mês
Edmundo relembra Paulistão-93 para celebrar o Dia dos Namorados; assista
PVC aposta em Richarlison no Palmeiras: “Negou a Europa para jogar a Libertadores”

Os atritos com o então técnico do Flamengo e a concorrência fizeram que César se aproximasse de outro clube gigante na época, o Palmeiras, de quem recebeu convite em 1966 em troca com Ademar Pantera. Só que, de início, a ideia não foi bem aceita pelo próprio centroavante.

“Não queria ir. Fui para casa, conversei com meu pai, que é torcedor do Fluminense, e ele disse que eu ia me dar bem em São Paulo. ‘Esquece o Flamengo’. Daí eu dizia: ‘Pai, mas como vou jogar em um time que tem Valdir, Djalma Santos, Djalma Dias, Ademir da Guia, Zequinha, Gildo, Servílio, Tupãzinho e Rinaldo. Mas segui o conselho dele, vim, e uma semana depois já era titular, e fiquei por quase 10 anos”, conta César, que recebeu a alcunha “Maluco” já no Verdão.

De 1967 a 1974, César marcou 180 gols em 324 partidas pelo Palmeiras, o segundo maior goleador, atrás apenas de Heitor, dos tempos ainda de Palestra Itália.