Havaianos se sentiram em casa no Rio de Janeiro no UFC 212; entenda por quê

Experimente fazer o seguinte experimento: pergunte a algumas pessoas qual a primeira coisa que vem à cabeça quando elas pensam em Havaí e Rio de Janeiro. A maioria das respostas será: praias. No último sábado, o UFC 212 trouxe dois lutadores havaianos para a cidade carioca: Yancy Medeiros e Max Holloway. Ambos se sentiram tão em casa que venceram seus duelos e até levaram um cinturão da organização para o arquipélago americano.

Redação Torcedores
Textos publicados pela Redação do Torcedores.com.Contato: redacao@torcedores.com

Crédito: Os havaianos Max Holloway e Yancy Medeiros visitam o Cristo Redentor antes do UFC 212 (Foto: Reprodução/Instagram oficial de Yancy Medeiros)

LEIA MAIS
Açaí, praias e vista: Lutadores gringos do UFC se apaixonam pelo Rio de Janeiro

Furto de celular, olhadas secretas no telão e faxina: conheça os bastidores do UFC Rio
Número 2 do UFC começou no MMA por acaso: Disseram que estava muito velha para lutar
Holloway nocauteia Aldo e cala arena no UFC Rio
Para atletas do UFC, saída de Belfort seria perda gigantesca para a organização

“(O Brasil) É como o Havaí, só que lá é um pouco mais frio. As praias são como as do Havaí. Lá a água é um pouco mais clara e mais quente. Aqui é muito fria. Eu fui à praia e fiquei um tempo. É um bom passatempo”, disse Max Holloway, que venceu José Aldo na luta principal da noite e unificou o cinturão do peso pena.

Seu companheiro de treinos Yancy Medeiros, que se apaixonou pelo açaí brasileiro, também falou sobre a semelhança das praias cariocas e havaianas.

“Eu amo a cultura do Brasil. Me lembra do Havaí. Me lembra nossa tropicalidade e o apoio aos conterrâneos. Eu amo e eu faço essa relação, porque eu venho de uma ilha que é exatamente assim. O Brasil é uma versão maior e mais quente do Havaí”, comparou Yancy, que venceu Erick Silva por nocaute técnico no UFC 212.

Porém, as comparações não ficaram restritas às belezas naturais dos dois países. Em entrevista ao Torcedores.com em abril Holloway já havia afirmado que a torcida brasileira se parecia muito com a torcida havaiana. Nesta semana, Yancy voltou comparar os fãs brasileiros com seus compatriotas.

“Eu amo os fãs brasileiros. Ano passado eu lutei aqui, eu senti a energia e eu não esperava ir em um país, enfrentar o lutador da casa e eles me apoiarem. Você não pode odiar o apoio. Eles amam o país, amam seus lutadores e estão os apoiando. É como no Havaí. Lá eu tenho o apoio de todos os meus amigos e familiares”, disse o lutador havaiano, que fez sua segunda luta em solo brasileiro.

Legado de BJ Penn

Assim como o Brasil, o Havaí tem tradição no MMA. BJ Penn foi um dos grandes nomes da história do esporte, tendo sido campeão do UFC em duas categorias diferentes (leves e pena). Nascidos na Região de Waianae, com cerca de 13 mil habitantes, Holloway e Yancy são hoje os grandes expoentes do arquipélago americano.

“Eu cresci vendo BJ Penna e outros caras que vinham de cidades pequenas lutando em competições escolares. E eu falava: ‘ei, eu posso fazer isso também’. De onde a gente vem, um monte de pessoas não sai de lá e explora o mundo. Eu acredito que as crianças são o caminho é você deve pavimentar o aminho certo. Eu acredito ser uma pessoa positiva vivendo meu sonho, tendo good vibes. Espero que as crianças entendam isso e sejam produtivas para a comunidade e representem o Havaí como um todo”, projetou Yancy Medeiros.