Futebol

Volante diz que “espetacular” foi gafe e brinca sobre duelo com D’Ale: “Não vou tirar o pé”

Publicado às

Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.

Inter

Crédito: Site Inter.

Os colorados logo se animaram quando o então vice-presidente de futebol Fernando Carvalho anunciou, no final de 2009, o acerto com um reforço “espetacular”. Contratado junto ao Monarcas Morelia, do México, o volante Wilson Matias não entusiasmou a torcida e teve que conviver com o forçado rótulo desde o seu primeiro dia no Beira-Rio. E agora, vestindo a camisa do Oeste, está prestes a reencontrar o ex-clube.

Em entrevista concedida à Rádio Gaúcha nesta quarta-feira, Matias recordou a passagem por Porto Alegre e deu sua versão sobre a declaração do dirigente. Segundo o jogador, Carvalho referia-se ao modo como o Inter conseguiu buscá-lo no México, já que vinha de boa temporada pelo Morelia e havia ganho mercado em outros países. Assim, a contratação é que havia sido “espetacular”, não o jogador em si. No entanto, ele entende que a gafe o atrapalhou em sua trajetória no Beira-Rio.

LEIA MAIS:

Alex indica mágoa após saída do Inter: “Ninguém merece passar o que eu passei”

Sincero, Douglas diz que deve voltar como reserva: “No momento, não tenho vaga”

“Não fiquei chateado com o Fernando Carvalho. Conversamos durante minha passagem pelo Inter sobre esse assunto. A imprensa começou a buscar uma pessoa para quem marcar e bateu muito nisso. Ele sempre dizia que a contratação é que foi “espetacular”. Infelizmente tem pessoas maldosas no meio e a palavra foi usada de outra forma. O Carvalho dizia que a negociação era “espetacular” pela grande temporada que eu havia feito no México. Mas acho que de alguma forma atrapalhou. Eu poderia, quem sabe, ter ficado mais tempo no Inter”, explicou.

Com Jorge Fossati e depois com Celso Roth, Matias foi reserva de Sandro e Guiñazu na campanha do título da Libertadores de 2010. Na sequência, o volante ganhou a vaga de Sandro, vendido ao Tottenham, e virou titular da equipe durante o Brasileirão daquele ano. Suas atuações eram, no máximo, regulares, e o jogador sucumbiu com os demais companheiros no vexame ocasionado diante do Mazembe, do Congo, que bateu o Inter por 2×0 na semi do Mundial.

Ali começava a ser colocado um ponto final na passagem do jogador pelo Inter, já que foi pouco utilizado no primeiro semestre de 2011. A seguir, foi emprestado à Portuguesa antes de voltar ao futebol mexicano, dessa vez para o Toluca. Wilson Matias, que diz que mantém carinho pelo Inter e que torce para que o clube se reencontre, já está de olho no próximo dia 25, quando o seu Oeste vai ao Beira-Rio pela Série B. E projeta o “duelo” com o amigo D’Alessandro.

“A gente tem uma amizade, tem um respeito, mas não vou tirar o pé não”, brincou. “Vamos chegar firme, mas sempre respeitando um profissional que existe no outro lado”.

*Este artigo tem parceria com a Fan Page “Como é Bom Ser Colorado” – curta abaixo!