Futebol

Alexandre Gama revela sonho de comandar o Flu:”Quero ajudar o clube de alguma maneira”

Publicado às

Radialista, Jornalista com passagens como correspondente pelo site italiano CalcioNews24.com e pelo Arena Rubro-Negra. Atualmente setorista do Fluminense e Futebol Sul-Americano no Torcedores.com

Alexandre Gama

Crédito: Foto: Divulgação

Durante entrevista ao site “Lance!“, o treinador Alexandre Gama revelou seu sonho de comandar um dia o Fluminense e se diz grato ao Tricolor das Laranjeiras. Gama garantiu, que deseja ajudar o clube de alguma forma por ter ajudado em sua formação como técnico de futebol.

“Sou grato a todos os clubes que passei. Em especial ao Fluminense, que foi onde comecei tudo, como jogador e treinador. Tenho o sonho de um dia ajudar o Fluminense de alguma maneira. Gosto do clube, as pessoas gostam de mim. Quero continuar fazendo o máximo aqui fora, para elevar o nome dos treinadores brasileiro”, garante.

LEIA MAIS:
BARCELONA-EQU X PALMEIRAS: SAIBA O QUE ESTÁ EM JOGO
ANÁLISE: COMO O PALMEIRAS DE CUCA DEVE SE COMPORTAR FORA DE CASA?

Alexandre Gama enaltece qual será seu grande projeto: “Meu grande projeto agora é fazer o Chiangrai ser o protagonista na Tailândia. Sempre foi time de meio de tabela e hoje brigamos pelas primeiras colocações. Trouxeram para fazer um trabalho diferente. Investiram em estrutura, jogadores, tudo de primeira. Trouxe todos que precisei, em termo de comissão. Nosso projeto é levar ao título e à Champions. Tenho essa obsessão para ser campeão continental aqui. Penso, também, em treinar alguma seleção por aqui. Tive propostas, não deu certo, mas tenho esse sonho”, comenta.

Questionado se deseja voltar ao futebol brasileiro, Alexandre Gama foi taxativo: Hoje não tenho vontade de voltar não. Já sofri por isso, de querer se reconhecido no Brasil como sou aqui fora, mas nas duas vezes que tentei voltar, voltei com prestígio, cheguei no Brasil e as portas não abriram. Trabalhei em clubes bons, que me deram condições. Fui bem no Madureira, mas mesmo assim as coisas não aconteceram. Não foi da forma como imaginava. Preferi voltar e não tenho sonho de treinar no Brasil. Um dia vou retornar porque sou brasileiro. Quero continuar aqui. Nunca posso dizer nunca. Se acontecer e tiver que voltar será ótimo. Mas minha cabeça está voltada para Ásia”, comentou.