Extra-campo

Candidato à presidência da Raposa, Sérgio Rodrigues quer auditoria externa e prevê melhorias para sócios

Publicado às

Jornalista e imparcialmente cruzeirense.

Crédito: O candidato à presidência do Cruzeiro, Sérgio Rodrigues, e à esquerda o candidato a 1º vice-presidente, Giovanni Baroni (Reprodução/ Twitter)

O ex-superintendente do Cruzeiro, Sérgio Rodrigues, vem cumprindo a agenda de reuniões para apresentar seus compromissos de campanha. Além das redes sociais, onde publica vídeos em que fala sobre seus interesses como presidente, Sérgio também se reúne com conselheiros, empresários e jornalistas para reafirmar suas propostas.

Na noite da última quarta-feira (5), ele esteve reunido em um restaurante de Belo Horizonte com jornalistas e empresários, onde anunciou os outros dois integrantes da chapa “Tríplice Coroa”. Os novos nomes são os empresários Giovanni Baroni e Marco Túlio Miranda.

LEIA MAIS

Thiago Neves defende Mano e promete Cruzeiro “pra cima” do Palmeiras

Com mudanças, Mano esboça Cruzeiro para jogo contra o Palmeiras

Além dos novos integrantes da chapa, Sérgio Rodrigues aproveitou a reunião para falar, dentre outros assuntos, sobre dois pontos que, vez ou outra, são questionados pelos torcedores. O candidato à presidência já revelou o desejo de tornar a administração do clube mais profissional, da mesma forma que os clubes da Europa gerenciam seus caixas.

Sérgio prometeu, caso seja eleito, contratar uma auditoria externa para verificar exatamente a saúde financeira do clube. “É preciso pensar o futebol de forma mais profissional, com gerenciamento pelos princípios do planejamento estratégico, propor metas, processos, orçamento, ferramentas de controle e capacitação de profissionais”, citou Sérgio Rodrigues, de acordo com a publicação do jornal Hoje em Dia.

Outro ponto levantado pelos convidados presentes no encontro foi a debandada de sócios ocorrida nos últimos dois anos. Sérgio foi claro ao responder que acredita que, hoje, o programa de sócios da Raposa seja pouco atrativo porque apresenta pouca possibilidade de atrações ao torcedor.

“Precisamos fazer com que o torcedor seja sócio do clube não apenas por causa do futebol. Quem já foi a eventos fora do Brasil, principalmente nos esportes norte-americanos já viu o espetáculo que fazem por lá. É mais do que o jogo, vai muito além do jogo. Tem por base o que chamam de ‘sportainement’, esporte e entretenimento. Hoje o espetáculo esportivo lá fora é um entretenimento. Assim que temos que pensar o nosso programa de sócios, oferecendo ao torcedor uma gama de novas possibilidades além do jogo de futebol propriamente dito”, declarou, ainda ao jornal Hoje em Dia.

Créditos da imagem: Reprodução/ Twitter Sérgio Rodrigues