Ex-rival faz elogios ao Grêmio: “O sangue no olho é o mesmo da década de 90”

Em meio aos elogios de comentaristas, ex-jogadores e imprensa pelo bom futebol apresentado na temporada, o Grêmio conta com um surpreendente admirador: Argel Fucks, ex-jogador e treinador do Inter entre as temporadas de 2015 e 2016, quando enfrentou o tricolor como adversário e ainda foi protagonista do polêmico “áudio do trator” na véspera de um clássico Gre-Nal.

Eduardo Caspary
Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.

Crédito: Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Durante participação no programa Preliminar, comandado pelo jornalista Luiz Carlos Reche na UlbraTV, nesta terça-feira, o ex-comandante colorado fez rasgados elogios ao técnico Renato Gaúcho e ao momento do Grêmio, sinalizando uma ligação direta com a década de 90, quando o tricolor gaúcho empilhou conquistas do porte de Libertadores, Brasileirão e Copa do Brasil.

LEIA MAIS:

Renato explica pênalti perdido e vê Grêmio na briga: “O Corinthians vai tropeçar”

Cenas de guerra: colorados fazem quebra-quebra no Beira-Rio e tentam invadir zona de imprensa

“O Renato vem fazendo grandes trabalhos. Ele é um grande treinador. É um cara que se vê que tem gestão de grupo. Que quando faz um discurso no vestiário, os jogadores compram a ideia. E o Renato entende sim de parte técnica e de parte tática. Mas isso não é tão importante quanto a gestão do grupo. Ele perdeu o Walace, mas achou o Arthur. Recuperou o Ramiro. Isso é o dedo do treinador”, destacou Argel.

Para o treinador, que atualmente está desempregado desde que saiu do Vitória, o atual Grêmio lembra muito o da década 90, que tinha nomes até hoje lembrados pela torcida como Danrlei, Arce, Carlos Miguel, Paulo Nunes e Jardel.

“Esse Grêmio de hoje do Renato me lembra muito aquele time do Felipão de 94 e 95. E olha que o próprio Felipão voltou ao Grêmio recentemente e não conseguiu reeditar aquele espírito que tinha feito lá atrás. Hoje dá pra ver o Grêmio com o mesmo sangue no olho de 94, de 95”, acrescentou.

Ao mesmo tempo, Argel descartou completamente a possibilidade de um dia treinar o Grêmio. Admitiu que tem respeito pelo clube, mas lembrou que no Rio Grande do Sul ou se é azul ou se é vermelho, e ele pertence ao segundo grupo.