F1: Fernando Alonso desabafa e afirma que jejum de vitórias lhe causa grande incômodo

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Divulgação/Facebook Oficial Fernando Alonso

Em entrevista à emissora inglesa Sky Sports, o espanhol Fernando Alonso desabafou e deixou claro que o jejum de quatro anos sem vencer na F1 tem afetado diversos pontos da sua vida, relembrou a sua dificuldade nos últimos anos com a McLaren, e o domínio recente da Mercedes.

Não é apenas 2017 que está sendo um ano difícil para Fernando Alonso: acostumado a brigar por vitórias, o piloto espanhol está a quatro anos sem vencer na F1, e em entrevista a emissora inglesa Sky Sports, o bicampeão mundial deixou claro que se sente frustrado por conta deste jejum, e que isso tem interferido em diversos aspectos de sua vida:

LEIA MAIS:
ASTON MARTIN E COSWORTH PARTICIPAM DE REUNIÃO SOBRE NOVOS MOTORES DA F1
FÃS RECRIAM OS MELHORES MOMENTOS DO GP DE BAKU 2017 NO GAME F1 2016; CONFIRA O VÍDEO

“A falta de vitórias afeta a carreira, a motivação e a felicidade. Essa é a principal perda dos últimos anos”, declarou o espanhol, que depois de diversos problemas durante a atual temporada com a McLaren, principalmente por conta da ineficiência dos motores Honda, marcou seus primeiros no último GP, disputado em Baku.

Apesar de destacar seu jejum de vitórias desde 2013, o espanhol também destaca que outros pilotos do grid atualmente vivem uma situação semelhante, devido o domínio da Mercedes nas últimas temporadas:

“Desde 2013 eu não venço, então não são apenas os últimos três anos. Isso tem sido algo frustrante. Mas, ao mesmo tempo, eu olho para outros pilotos, como Nico Hulkenberg, Daniel Ricciardo, Max Verstappen… Eles são caras supertalentosos, mas tiveram alguns poucos pódios nos últimos anos. Tem sido um domínio forte por parte da Mercedes, e, neste ano, com a Ferrari também. Então todos os outros pilotos estão na mesma situação”, completou Alonso.

A última vitória conquistada por Fernando Alonso foi no GP da Espanha em 2013, quando ainda era piloto da Ferrari. Desde então, o espanhol voltou a subir no pódio em mais oito oportunidades, entre 2013 e 2014, ainda como piloto na escuderia italiana.