Filipe Toledo vence em J-bay e classificação segue apertada

Em uma das melhores e mais disputadas etapas do WCT nos últimos anos, Filipe Toledo dominou quase todas as baterias com tubos, aéreos e um show de notas altas.

Redação Torcedores
Textos publicados pela Redação do Torcedores.com.Contato: redacao@torcedores.com

Crédito: Filipe Toledo vence em J-Bay

Terminou, nesta quarta-feira (20/07), a 6ª etapa do WCT, que aconteceu em Jeffreys Bay na África do Sul. O torneio, que teve uma das maiores sequências de notas altas na história do circuito, foi vencida pelo paulista Filipe Toledo.

Natural de Ubatuba e com um título do WQS na bagagem, ele sagrou-se campeão derrotando nomes como Jordy Smith, Mick Fanning e Julian Wilson.

A trajetória para o título começou com uma derrota. Ainda no 1º round, que não é eliminatório, acabou perdendo para Michel Bourez (PYF). Já na repescagem, anotou o primeiro 10 da competição, atropelou o americano Kanoa Higarashi com a soma de 19.63, e obteve sua maior pontuação até agora em uma só bateria.

Sorte/Azar

Já no 3º round, acabou sendo beneficiado pela contusão de Kelly Slater, que aparentemente quebrou o pé e não pôde disputar a bateria.

Classificado para o 4º round, pegou uma bateria bem complicada. Teria que enfrentar o dono da casa, Jordy Smith, e o australiano Julian Wilson, que teve ótimo resultados em J-Bay nos últimos dois anos. Eis que, faltando 12 minutos para acabar a bateria, e estando atrás no placar, o torneio teve que ser interrompido devido à proximidade de um tubarão e o risco de um ataque.

No dia seguinte retomaram e ele não decepcionou. Com 19 pontos na somatória, não deu chances para os adversários e se classificou direto para as quartas de final, onde enfrentou novamente Jordy Smith, que, a essa altura, tinha feito a melhor bateria do torneio, com duas notas 10.

Quartas de Final

Logo na primeira onda, da bateria e do dia, Filipinho conseguiu um 9.50 e levantou a galera. A partir daí, Smith precisaria de uma nota bem alta para equiparar o confronto. Na segunda tentativa, o brasileiro marcou 9.2, totalizando 18.70, deixando ainda mais complicada a situação do sul-africano. No final, após a vitória, sentiu que esse era seu evento. Era uma resposta para si mesmo após a suspensão cumprida em Fiji.

Semi-final

Na semi-final o adversário era novamente Julian Wilson. 3ª semi nos últimos 3 anos em J-Bay. E felipe não teve muitas dificuldades para bater o australiano. Com a soma de 16.63, avançou a sua primeira final em 2017 e como o destaque do torneio até o momento. Na outra semi, o estreante, e sensação, Frederico Morais (PRT), havia derrotado Gabriel Medina com 17.37 x 14.70.

Grande Final

Sem sentir a pressão, o garoto de Ubatuba, que hoje mora na Califórnia (EUA), abriu a série com um 5.83 e um 9.17, deixando o português desconfortável. Morais ainda conseguiu um 8.33 e precisava de pouco para virar, mas ai recebeu a resposta de 8.83, o que o deixou novamente em combinação*. No finzinho ele ainda conseguiu fazer a maior nota da bateria, 9.40, mas não mudou o resultado e acabou como vice-campeão. Nada mal para um estreante.

As maiores Notas

J-Bay foi uma das etapas com as maiores notas dos últimos anos. No total foram 8 notas 10 e mais 35 acima dos 9 pontos. Quatro atletas conseguiram somas acima dos 19 pontos, John John Florence 1, Filipe Toledo 2, Frederico Morais 2, além de Jordy Smith, com uma bateria perfeita (20) e outra somando 19.37

Classificação

Após a 6ª etapa, a classificação segue apertada. O que poderia ser um divisor de águas para o futuro campeão, J-Bay acabou embolando ainda mais a disputa.

RankNamePoints
1Matt Wilkinson (AUS)31,950 
2John John Florence (HAW)31,700
3Jordy Smith (ZAF)31,350
4Owen Wright (AUS)30,150
5Adriano de Souza (BRA)27,900
6Joel Parkinson (AUS)24,400
7Filipe Toledo (BRA)23,950
8Julian Wilson (AUS)23,200
9Gabriel Medina (BRA)21,000
10Connor O’Leary (AUS)20,200
16Caio Ibelli (BRA)15,000
22Italo Ferreira (BRA)12,450
25Wiggolly Dantas (BRA)11,250
26Ian Gouveia (BRA)10,250
31Yago Dora (BRA)7,000
32Miguel Pupo (BRA)6,750
32Jadson Andre (BRA)6,750

 

*Combinação – Quando um surfista precisa de duas notas para superar o adversário