Extra-campo

Livro conta as histórias de grandes jogos do Brasileirão

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Divulgação

Embora ainda seja um país de considerável carência na leitura, quando o assunto é futebol, não há nada no Brasil que não desperte atenção.

E na literatura não poderia ser diferente.

Várias publicações, sobretudo biografias de ex-atletas, vêm sendo lançadas, assim como registros de grandes jogos disputados em diferentes campeonatos.

O jornalista paulistano Adriano Coelho publicou em 2012 o livro “Os 100 Maiores Jogos do Brasileirão – Uma Homenagem Aos Vencedores da Bola de Prata do Placar” (Ed. Pontes, 326 páginas).

O curioso é que o Youtube, foi a principal fonte para esse arquivo, completado com relatos de torcedores que acompanharam tais duelos, além das pesquisas no google, de como foi a cobertura e repercussão dos jogos na época.

O Torcedores.com bateu um papo com o escritor. Confira:

De onde e quando surgiu a ideia de escrever o livro?

Fui o menino perna de pau, que não sabia jogar futebol, brincava até os 18 anos de idade. Como era tachado de ruim de bola, revoltei e abracei uma fase sedentária, já que tinha vergonha de praticar outra coisa que não fosse o futebol. Voltei a levar uma vida ativa aos 25, quando fiz natação, muay thai e patins. Faço kung fu há 15 anos.

Certa vez, de passeio na praia, meu pai contou coisas engraçadas sobre pessoas do bairro onde morávamos. Aí tive ideia de escrever um livro sobre as pessoas e histórias dali, mas parei por três vezes até desistir. Em 2010 estava trabalhando com eventos ( rodeios), que não eram do meu agrado, decidi fazer algo diferente. Como havia comprado o livro do PVC (Os 55 Maiores Jogos das copas do mundo), resolvi fazer sobre os 100 maiores do brasileirão.

Qual foi a metodologia utilizada para a pesquisa?

A metodologia foi utilizar o youtube no inicio, através da busca com os jogos mais procurados. Pensei que pudesse de repente favorecer times de torcidas gigantes como Corinthians e Flamengo, ou de qualquer outro clube dos ‘13”. Mas não foi bem assim, quando o jogo é muito falado, a procura é grande.

Em seguida coletava os jogos do youtube e pesquisava sobre eles no google, encontrando o número de manchetes e sua repercussão. E por final trocava uma ideia com uma pessoa mais velha e perguntava sobre aquele jogo.
Uns 60% do livro foram graças ao youtube, onde assistia aos jogos e fazia minha análise. E pelo google, filtrava as observações de outros jornalistas. Por ser tratar de um livro documentário, não poderia ter só minha opinião. No mais, eram relatos de torcedores de diversos estados, que acompanharam alguns destes jogos.
O livro tem uma linguagem fácil, para que todos, inclusive os que poucos estudaram, possam ler.

Chegou a entrevistar algum personagem destes jogos?

Somente depois da publicação. Depois que lancei o livro conversei com Dadá, Marcelinho Carioca, Serginho Chulapa, Ademir Da Guia, alguns jornalistas como Juarez Soares, que assistiu a final de 71 no Maracanã, quando inclusive, ele apareceu atrás do gol na comemoração do Dadá Maravilha. Estive também com André Kfouri, PVC, dentre outros.

presenteando o craque Ademar da Guia com seu primeiro livro "100 Maiores Jogos do Brasileirão".

Obtive relatos interessantes nas entregas do livro. O Belleti disse que na derrota do São Paulo para a Lusa por 7 a 2, não via a hora de o jogo acabar. O Evair, que está em quatro dos cem jogos, contou que ficou abismado com a rebeldia do Edmundo no clássico (2×2 em 94) em que aconteceu uma grande briga, contra o São Paulo, e impressionado com o tanto que o ‘animal’ era craque, nos 4 a 1 do Vasco Sobre o Flamengo.

No livro você homenageia os vencedores da bola de prata. Qual a relação deles com esses jogos?

A bola de prata é muito importante, desde 1970 homenageando os melhores da posição e o artilheiro. E através dela obtivemos muita informação, além de fatos curiosos. O Pavão por exemplo, que não foi nenhum craque, foi o melhor lateral-direito de um determinado ano. Ás vezes o cara se destaca num time fraco ou vai mal num time forte, é muito relativo. O Marcos, goleiro do Palmeiras, nunca foi contemplado. O Renato Gaúcho conquistou por quatro clubes diferentes. Em 71, um tal de Antonio Carlos do América-RJ esteve entre os premiados. Ninguém que perguntei sabia dele, até que acabei encontrando algo sobre ele no site do Milton Neves.

Minha grande tristeza foi não ter presenteado o Michel Laurence , criador da bola de prata, que morreu antes do lançamento do livro.

Caso queira entrar em contato com o autor Adriano Coelho: gunagrim@gmail.com

Veja neste link, mais sobre o livro, e quais foram estes 100 jogos :http://www.ludopedio.com.br/biblioteca/os-100-maiores-jogos-do-brasileirao/

Veja aqui na íntegra, alguns dos cem grandes jogos do brasileirão!!

Guarani 3×3 São Paulo – 1986

Santos 5×2 Fluminense – 1995

Vasco 5×2 Corinthians – 1980

Corinthians 4×1 Flamengo – 1984

São Paulo 3 x 4 Flamengo – 1982

Santos 4 x 5 Flamengo – 2011