Opinião: Mano prometeu vencer e o Palmeiras facilitou seu objetivo

Na última rodada do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro perdeu para seu maior rival, o Atlético-MG. A relação do time com a torcida ficou bastante estremecida, ocorrendo protestos na Toca da Raposa 2, durante a semana.

Victor Paixão
Colaborador do Torcedores

Crédito: Foto: Divulgação/ Site Oficial do Cruzeiro - © Washington Alves

Um dos principais alvos era o técnico Mano Menezes, principalmente por não conseguir encontrar um padrão defensivo, sendo que o setor é o que mais falha, e que mais tem preocupado o torcedor cruzeirense. E o Mano, com toda experiência, já havia provocado o torcedor, no bom sentindo, quando após perder o clássico, disse que o Cruzeiro não levaria três gols novamente e que venceria o Palmeiras.

Poderia ser um desafio difícil de se alcançar, visto que a equipe alviverde chegava para o duelo vindo de 4 jogos de vitórias no Brasileiro, e a Raposa, nas duas últimas partidas disputadas, havia levado três gols em cada. Entretanto, o treinador promoveu modificações no setor defensivo, deixando de fora o zagueiro equatoriano Caicedo, que tem passado por problemas pessoais na família, e também poupado o lateral-direito Ezequiel.

As mexidas surtiram efeito. O zagueiro Murilo foi mais consistente que seu companheiro de zaga, o já bem experiente Léo. Pelo lado direito, Romero, mesmo improvisado, acabou sendo o melhor jogador da partida, dando inclusive uma assistência e mostrando muita raça para defender.

Mas mesmo com tudo isso, o Cruzeiro chegou ao resultado porque o Palmeiras facilitou a situação. A equipe não se encontrou em campo, e não soube aproveitar as diversas falhas cruzeirenses, que outrora, já haviam sido cometidas contra o próprio Palmeiras, pela Copa do Brasil.

O Mano soube provocar e os palmeirenses caíram em sua provocação. Mas não é o momento de tirar os méritos cruzeirenses, que tem time para se manter na parte de cima da tabela do Brasileirão, sem promessas baratas de seu treinador.