Automobilismo

Por taxas altas, Silverstone considera romper contrato com a F1

Publicado às

Jornalista com passagens pelas revistas Racing e House Mag.

Crédito: Foto: Getty Images

Os administradores do Autódromo de Silverstone, na Inglaterra, pretendem renegociar os valores das taxas cobradas pela Fórmula 1 para sediar o Grande Prêmio da categoria, e consideram até o rompimento de contrato com o principal campeonato do automobilismo mundial. A informação foi veiculada pela emissora de TV britânica BBC.

O circuito possui acordo com a Fórmula 1 até 2027, mas não está satisfeita com o reajuste de 5% imposto pelo acordo a cada ano. O atual contrato de Silverstone foi assinado quando Bernie Ecclestone ainda era o principal dirigente da categoria.

LEIA MAIS:
Vettel assume erro em Baku, e Hamilton nega tensão entre os dois

Para este ano, o British Racing Drivers Club (BRDC) parará 16,9 milhões de libras para sediar a prova, valor acima dos R$70 milhões na atual cotação. Estima-se que a prova custará 27,5 milhões de libras, o equivalente a R$116 milhões.

Apesar de o valor ser mais baixo em relação ao pago por outros países que recebem Grandes Prêmios, a prova inglesa não conta com quaisquer subsídios do governo. O Liberty Media, dono da Fórmula 1, não altera os contratos vigentes, então a ideia dos organizadores é romper o acordo para conseguir outro.

Foto: Getty Images