Futebol

Veja 5 lições que o Santos pode tirar da vitória pela Libertadores

Publicado às

Estudante de Jornalismo. Setorista no Torcedores.com do Santos e Botafogo.

Santos

Crédito: Foto: Reprodução/Facebook Conmebol Libertadores Bridgestone

O Santos na noite desta quarta-feira, deu um passo gigante para alcançar às quartas de final da Copa Libertadores da América. Diante do Atlético Paranaense, na Vila Capanema, o clube paulista venceu o duelo por 3 a 2, isso coloca na condição o Peixe de poder até perder na partida de volta.

O Alvinegro Praiano apesar do triunfo obtido, mostrou pontos fracos e coisas que podem ser corrigidas para o restante da temporada. Com isso, o Torcedores.com mostra 5 lições do duelo com o Furacão.

LEIA MAIS:

SANTOS VENCE ATLÉTICO-PR PELA LIBERTADORES; VEJA AS NOTAS DOS JOGADORES

1- Santos não pode abir mão de jogar bola:

no começo do jogo o Santos ficou na defesa e na busca por uma bola, quase pagou caro por isso. Já na etapa final, partiu ao ataque, marcando a saída a bola, sem medo do Furacão. Moral da história: o Peixe não sabe ficar coma bunda no campo defensivo.

2- Jean Mota não tem condição:

mais uma atuação PATÉTICA do camisa 20. Ele foi falho na defesa, ficou só observando no segundo gol do Atlético Paranaense. Porém, acredite o pior vem quando ele está coma bola nos pés e não acerta um passe ou cruzamento. Ele precisa ser sacado do time rapidamente.

3- Peixe dormiu nos primeiros minutos:

uma partida da magnitude que foi esse duelo com o Furacão, requer concentração máxima, mas no começo do confronto a equipe santista entrou dormindo e isso precisa ser melhorado.

4- Por que o Santos não tem essa raça de Libertadores sempre?:

o Alvinegro Praiano faz uma temporada abaixo da expectativa, mas quando é pela competição continental o time se transforma, sendo uma equipe de muito comprometimento, união, dedicação e uma vontade espetacular. Resta ter essa mesma atitude também no Brasileirão e Copa do Brasil.

5- Levir demorou para mexer:

Quando o Atlético Paranaense fez o segundo gol, o Peixe ficou muito perto de tomar o empate. O treinador santista precisa colocar alguém para combater no meio-campo e ficou apenas assistindo o Santos tomar sufoco. Além disso, não foi bem ao sacar Lucas Lima para entrada de Vecchio.