Futebol

Weidman chama Anderson Silva de “melhor de todos os tempos”

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Weidman nocauteia Anderson Silva no UFC 162

Crédito: Weidman nocauteia Anderson Silva no UFC 162 (Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)

No UFC 162, em julho de 2013, Chris Weidman chocou o mundo ao nocautear Anderson Silva e faturar o cinturão do peso médio da organização. Ao relembrar a histórica vitória sobre o brasileiro esta semana, o ex-campeão rotulou o Spider como “o melhor de todos os tempos”.

LEIA MAIS
Weidman recusou luta contra Anderson Silva no Rio de Janeiro
Werdum: “Lutaria com o Overeem em pé, vejo grandes chance de nocauteá-lo”
Maurício Shogun fará revanche contra St. Preux no UFC Japão

“Não sei se alguma vez na minha vida terei outra vitória como aquela. Uma vitória na qual eu estava lutando contra o melhor de todos os tempos e todo mundo estava me descartando. Eu as pessoas próximas a mim sabíamos que eu poderia fazer o que eu fiz. Eu disse que iria lá e iria finalizá-lo e as pessoas riram de mim. Foi ótimo ir lá e fazer isso enquanto as pessoa riam de mim”, disse Weidman em entrevista ao The MMA Hour.

O americano também falou sobre as provocações de Anderson Silva e conta como fez para não se deixar levar pelas armadilhas do brasileiro.

“Os caras contra quem ele lutou antes de mim não acreditam neles próprios. Ele (Anderson) estava apenas brincando com esses caras e então ele encontrava uma maneira de humilhá-los com algum nocaute espetacular. Isso me deu ainda mais energia. Alimentou um fogo dentro de mim para ser o cara que iria acabar com isso. Foi um momento incrível. Ele estava brincando um pouco demais comigo e eu fiquei irritado com aquilo. Eu decidi que eu não iria parar de socá-lo até nocauteá-lo”, analisou o ex-campeão.

Chris Weidman também comentou que ficou impressionado com a atmosfera do evento, já que aquela foi a primeira vez que o americano lutou no card preliminar de um evento numerado do UFC.

“Tinham bandeiras dos EUA, bandeiras do Brasil e foi a primeira vez que eu ouvi o grito de ‘Uh! Vai morrer’. Foi a minha primeira vez lutando para fãs reais e com pessoas que realmente sabiam quem eu era”, lembrou Weidman.