Futebol

Vacinado pelo “quase”, Zé Ricardo vê confronto ainda aberto na Sul-Americana

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Zé Ricardo evita falar em classificação na Copa Sul-Americana (Foto: Divulgação/Staff Images/Flamengo)

A trajetória de Zé Ricardo no futebol profissional é curta, mas repleta de “quase”. No ano passado, o rubro-negro chegou perto da briga pelo título brasileiro, mas acabou em terceiro. Na Sul-Americana, depois de vencer o Palestino no Chile, a o time perdeu em casa e acabou eliminado da competição. Neste ano, bastava uma vitória na última rodada da Libertadores para a equipe conseguir a vaga nas oitavas de final, mas uma derrota acabou eliminando o Fla. Por isso, mesmo após a vitória por 5 a 2 sobre o Palestino nesta quarta-feira, o treinador não dá como certa a classificação para as oitavas de final da Copa Sul-Americana.

LEIA MAIS
Palestino x Flamengo: Veja os melhores momentos da goleada rubro-negra no Chile
Em nota oficial, Flamengo e Fluminense se unem por estádios
Opinião: A Copa Sul-Americana deveria ser a prioridade do Flamengo em 2017

“Temos uma boa vantagem, mas a decisão ficou para o Rio”, disse Zé Ricardo em entrevista coletiva após o jogo em Santiago, no Chile.

Pouco depois, em resposta a outra pergunta, o técnico rubro-negro voltou a reforçar que nada está decidido.

“O fato é que temos boa vantagem, mas o desafio está aberto, temos que confirmar isso no Rio de Janeiro”, reforçou o treinador.

Após um primeiro tempo morno e com poucas chances dos dois lados, as duas equipes voltaram com tudo na etapa final. Tanto é que todos os sete gols da partida saíram nos 45 minutos finais. O técnico rubro-negro analisou o desempenho da equipe mista na partida.

“No primeiro tempo demoramos um pouco a entender a dinâmica de jogo do Palestino, apesar de uma equipe jovem, tem uma estrutura de jogo interessante. Está de parabéns o professor Cavalieri. Após o intervalo a gente voltou melhor, demos um ritmo maior à nossa dinâmica de jogo e conseguimos aproveitar a oportunidade. Com o frio, a gente ficou um pouco congelado no início do jogo. Mas realmente no segundo tempo cobramos um pouco mais para que a gente pudesse acelerar e fazer um gol fora de casa, que seria importante. Não esperava que saíssem sete gols. Alguns por falhas individuais, mas acho que produzimos o suficiente no segundo tempo para ter uma boa vantagem. Sete gols em um tempo não é toda hora, circunstância do jogo”, analisou Zé Ricardo.

As duas equipes voltam a se enfrentar no dia 9 de agosto, no Rio de Janeiro. O Flamengo pode até ser derrotado por três gols de diferença (3 a 0 ou 4 a 1) que se classifica.