Futebol

Edimar diz quais erros Dorival corrigiu no São Paulo pós-Ceni e crê em Libertadores

Publicado às

Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.

Sao Paulo

Crédito: Crédito da foto: Divulgação/São Paulo FC

Sem ter entrado em campo com Rogério Ceni, Edimar não ficou em cima do muro quando questionado o que Dorival Junior mudou no São Paulo após a saída do ex-goleiro. Além disso, o lateral-esquerdo também se mostrou otimista em conquistar uma das seis vagas para a Libertadores.

Dorival Junior chegou ao São Paulo há pouco menos de um mês e desde então foram cinco jogos. A equipe conseguiu sair do Z-4 na última rodada e Edimar pode ter sido um “amuleto”. Titular nas últimas três partidas, suas únicas atuações até então pelo clube, o lateral está invicto.

“O mérito do Dorival é fazer trabalhos curtos, mas intensos, com pressão, poucos toques na bola. Contra o Botafogo, tivemos posse de bola muito boa e, contra o Coritiba, será um jogo muito importante, uma final. Agradecemos o torcedor pelo empenho nos ajudar, nos fortaleceram quando estávamos em situação pior. Pedimos para lotar o Morumbi e nos fortalecer, declarou Edimar.

Emprestado pelo Cruzeiro junto ao São Paulo, Edimar analisou e contou o que Dorival corrigiu no São Paulo em relação ao trabalho anterior praticado por Ceni.

“Antes, jogávamos com as linhas mais espaçadas. Corrigimos isso na recomposição. Na hora de marcar, atacante ou meio-campista, precisa voltar para recompor e não deixar as linhas desguarnecidas”, explicou.

Junior Tavares era um dos homens de confiança de Ceni e titular ‘intocável’ na lateral-esquerda. Com o ex-goleiro, Tavares havia sido titular em 38 das 41 partidas.

Edimar também se mostrou confiante na equipe e após a saída da zona de rebaixamento, o jogador já sonha com voo mais altos do São Paulo.

No meu ponto de vista, se continuarmos trabalhando desse jeito, com essa vontade e o treinador implantando seu trabalho, acho difícil o time cair de rendimento”, disse.

“O Campeonato Brasileiro é muito competitivo. Time que está na zona de rebaixamento, com duas vitórias, vai lá para cima. É o que queremos. Acredito que o São Paulo pode crescer e atingir seus objetivos”, concluiu, ao falar da Libertadores.