Mídia Esportiva

Juca apoia Cuca por dispensar Felipe Melo: “Achou que era dono do time”

Publicado às

Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.

Felipe Melo

Crédito: Cesar Greco / Ag. Palmeiras

Na última segunda-feira, o programa Linha de Passe, da ESPN Brasil, foi palco de novo capítulo da novela envolvendo a situação de Felipe Melo no Palmeiras. Dispensado por Cuca, o jogador se exaltou e chamou o comandante de “covarde e mau caráter” em áudio vazado nas redes sociais. À ESPN, ele se retratou e pediu desculpas pelas palavras e justificou que “tinha tomado um pouco de Champagne” em festa de aniversário da esposa.

LEIA TAMBÉM:
Felipe Melo detona Cuca, pede desculpas por áudio e recua: “Estou à disposição do Palmeiras”

O comentarista Juca Kfouri crê que Cuca acertou em abrir mão de Felipe para o restante da temporada, já que o “clima tende a ficar melhor”.

“Ao fazer o gol (contra o Avaí no sábado), o capitão Dudu vai ao banco, chama os reservas para abraçar o cuca numa atitude que mostra, a meu ver, uma mensagem de ‘Estamos com o treinador’. Entre a alegria do Deyverson nas entrevistas e a aquela coisa carrancuda, aquela coisa guerreira sem precisar guerreira do Felipe Melo, o Palmeiras fez bem em dispensá-lo”, opinou o comentarista.

“Ele chegou no Palmeiras achando que era dono do time, sentando na tabelinha, em um time que era atual campeão brasileiro”, completou Juca.

Veja a entrevista de Felipe ao Linha de Passe:

Com o impasse, Felipe Melo ainda treinará no Palmeiras enquanto não receber nenhuma proposta. O próprio atleta disse que se reapresentará normalmente nesta terça-feira, uma vez que tem contrato com o Verdão até 2019. Com apenas cinco partidas pelo Campeonato Brasileiro, ele ainda pode defender outra equipe na Série A – por não ter atingido o limite de sete jogos.

Felipe chegou ao Palmeiras em janeiro após quase uma década jogando no futebol europeu. O volante foi titular incontestável sob a batuta de Eduardo Baptista, porém vinha sendo preterido por Cuca há tempos.