Lusa 97 anos: O time que encantou o Brasil e foi chamada de “Barcelusa”

O melhor ataque da história da Série B nos pontos corridos, a segunda melhor campanha da história, esse e muitos outros recordes foram quebrados pela Lusa em 2011.

Kayque Dias
Colaborador do Torcedores

Crédito: Foto: Blog Anotando Futebol.

A sétima e última reportagem que homenageia os 97 anos da Associação Portuguesa de Desportos, vai até o ano de 2011, ano em que a Lusa do Canindé passou por cima dos adversários e foi chamada de “Barcelusa” em alusão ao time do Barcelona na época.

LEIA MAIS:
Lusa 97 anos: O melhor time da história da Portuguesa
Lusa 97 anos: Uma reprise aconteceu no mesmo estádio que marcou o título de 73
Lusa 97 anos: O último título paulista da Portuguesa
Lusa 97 anos: Um grande time e uma pena não ter conquistado aquele campeonato
Lusa 97 anos: 1998 o ano do quase para a Portuguesa
Lusa 97 anos: A perda do título que tira o sono de muitos até hoje

Claro que não é um dos melhores times da história da Portuguesa, mas fez uma campanha digna dos grandes! A equipe rubro-verde começou o Campeonato Brasileiro da Série B com a desconfiança da torcida, o time que havia se classificado no sufoco no Campeonato Paulista e acabou perdendo para o São Paulo, nas quartas de final da competição, também vinha de uma história de duas Série B batendo na trave, ficando em 5º lugar e não conseguindo o acesso de volta à Série A.

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

Um time muito entrosado, treinado por Jorginho foi o melhor ataque de todos os tempos na Série B em pontos corridos, foi a segunda melhor campanha em pontuação, só ficando atrás do Corinthians de 2008, foi um dos times que menos perdeu em todas as edições da Série B, várias goleadas e até a mídia espanhola dando moral para a grande campanha que a Portuguesa fez naquele campeonato.

 

O time formado por: Weverton; Luís Ricardo, Rogério (Leandro Silva), Mateus (Renato Chaves) e Marcelo Cordeiro; Ferdinando, Guilherme, Marco Antônio e Henrique; Édno e Ananias. Detalhe, Luís Ricardo começou a Série B como atacante, mas o técnico Jorginho enxergou potencial no jogador para ele atuar na lateral-direita, posição a onde atua até hoje.

Para começar, nada melhor do que uma boa goleada, não é? O Náutico sofreu com a Lusa, 4×0 para a equipe rubro-verde no Canindé. O time até deu uma pequena oscilada, com os empates diante do Paraná e Grêmio Barueri e a derrota em casa para o ABC-RN, mas o time voltou a vencer na quinta rodada, contra o Guarani em um grande jogo.

Depois disso o time deslanchou, meteu 5 no Bragantino e no São Caetano, 4 no Goiás em pleno Serra Dourada, 3 na Ponte em Campinas, 4 no Barueri, 3 no Goiás, dessa vez no Canindé e 4 no Duque de Caxias.

Foram 82 gols marcados em 38 partidas, 23 vitórias, 12 empates e apenas 3 derrotas, 81 pontos somados e 38 gols tomados, a melhor defesa e o melhor ataque da competição, foram 32 rodadas na liderança, sendo 29 seguidas.

O jogo do acesso foi contra o Americana, por 3×2 na 32ª rodada do campeonato, o gol do meia Ivo colocou a Lusa de volta à Série A depois de 4 anos e com 8 rodadas de antecedência. O jogo do título foi diante do Sport, no Canindé lotado, o empate em 2×2 deu a taça ao time lusitano com 3 rodadas de antecedência. E o jogo da taça foi contra o Duque de Caxias, na 37ª rodada, 4×0 no Canindé e muita festa.

A campanha foi tão impressionante que chamou atenção do jornal “Marca” da Espanha, que fez uma matéria falando sobre a Lusa que era o espelho do time da Catalunha.