Palmeiras 103 anos: Veja 10 jogadores históricos do clube

São 103 anos de história, que vão ser completados neste sábado (26). Esse é o tradicional Palmeiras, conhecido por ser o maior campeão brasileiro e por ter tido jogadores históricos, que ficaram extremamente marcados por conta das passagens que tiveram pelo alviverde.

Luiz Felipe Longo
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Foto: César Greco / Ag.Palmeiras / Divulgação

Em virtude da comemoração do aniversário do Palmeiras, o Torcedores.com preparou uma lista na qual constam dez atletas históricos que defenderam as cores do clube. Se você sentir falta de algum nome, deixe nos comentários, afinal, a opinião do leitor é sempre muito importante.

Ademir da Guia: É apontado como o maior ídolo da história do clube. Carinhosamente apelidado de “Divino”, ganhou destaque durante as décadas de 1960 e 1970 por conta de seu talento e habilidade. Comandava um Palmeiras que se mostrava o único time capaz de competir com o Santos de Pelé. Conquistou, nada mais nada menos que, cinco títulos do Campeonato Brasileiro, entre outros canecos.

Foto: Divulgação

Marcos: Tamanha é a idolatria pelo antigo camisa 12 alviverde, que ele foi “canonizado” pelos torcedores, ganhando o apelido de “São Marcos”. Quem torce para o alviverde se lembra da mítica defesa no pênalti cobrado por Marcelinho Carioca, do Corinthians, isso sem falar das inúmeras intervenções milagrosas. Vale ressaltar que Marcos recusou proposta do Arsenal, da Inglaterra, para ficar no clube paulista e disputar a Série B do Campeonato Brasileiro.

Foto: Divulgação

César Maluco: É o segundo maior artilheiro da história palmeirense com 180 gols marcados. Destacou-se na equipe durante a década de 70 por ser um centroavante extremamente oportunista e que não costumava desperdiçar as oportunidades as quais apareciam. O apelido de “Maluco” surgiu pela maneira como atuava dentro de campo e também pelo comportamento fora dele.

Foto: Divulgação

Julinho Botelho: Considerado como um dos melhores ponta-direita do clube, ganhou destaque por conta da velocidade, dribles, belos passes e finalizações que dava. Usando a camisa 7 alviverde, disputou 269 partidas, conquistando 163 vitórias, 53 empates, e outras 53 derrotas, segundo informações do “Almanaque do Palmeiras”, de autoria de Celso Dario Unzelte e Mário Sérgio Venditti.

Foto: Divulgação

Oberdan Cattani: É mais um entre os tantos bons goleiros da rica história palmeirense. Suas duas principais características eram a agilidade e o reflexo que apresentava quando estava em campo, que passavam extrema confiança aos torcedores palmeirenses. Ao todo, foram 351 jogos, com 207 vitórias, de acordo com o site oficial do clube.

Foto: Divulgação

Luís Pereira: Segurança. Não havia outra palavra que poderia definir melhor o zagueiro, o qual chegava muito bem ao ataque, tendo marcado 35 gols. Além disso, o desarme e a saída de bola foram duas características marcantes do defensor, que também passou pela Seleção Brasileira e era tido como uma das referências do elenco alviverde.

Foto: Divulgação

  • Edmundo: O apelido de “Animal” não foi dado à toa, fosse pelos excessos fora de campo ou pela maneira que atuava dentro das quatro linhas, Edmundo se destacou com a camisa alviverde também por ir muito bem no quesito finalizações. Foram 99 gols marcados pelo atacante, que ainda teve 223 jogos disputados, com 125 vitórias.

Foto: Divulgação

  • Leão: Levantou o caneco do Campeonato Brasileiro em três oportunidades com a camisa do Palmeiras nos anos de 1969, 1972 e 1973, tornando-se ídolo do clube. Acumulou excelentes partidas, nas quais era responsável por realizar defesas espetaculares, sempre mostrando um bom senso de posicionamento e qualidade na reposição.

Foto: Divulgação

  • Evair: É apontado como um dos melhores centroavantes que o Palmeiras já teve, tendo feito parte do elenco campeão da Copa Libertadores da América de 1999, na qual foi protagonista na equipe alviverde. Empilhou outras taças além do torneio continental, como dois Campeonatos Paulistas (1993 e 1994), dois Campeonatos Brasileiros (1993 e 1994) e um Torneio Rio-São Paulo (1993).

Foto: Divulgação

  • Mazzola: José João Altafini ganhou o apelido de Mazzola por conta da semelhança física com o atacante italiano, ganhando destaque nas categorias de base e sendo promovido ao time profissional. Foram 85 gols marcados em 114 jogos, média de quase um gol por partida.

Foto: Divulgação

LEIA MAIS:
PALMEIRAS É O ÚNICO CLUBE QUE NÃO MANDOU JOGOS PARA MENOS DE 20 MIL TORCEDORES NO ANO
PALMEIRAS TERÁ 13 DIAS ‘LIVRES’ DEPOIS DE CLÁSSICO CONTRA O SÃO PAULO
GLOBO VAI MOSTRAR DOIS JOGOS DO PALMEIRAS ENTRE AS RODADAS 26 E 30 DO BRASILEIRÃO