Esportes Olímpicos

Um ano após a Olimpíada Rio 2016: o legado imaterial

Publicado às

Redação do Torcedores.com

Crédito: Ryan Guimarães: campeão brasileiro com sede de vitória em competição - Crédito Arquivo Nagai

No último dia 8 completamos um ano da medalha de Ouro da Judoca Rafaela Silva nos Jogos Olímpicos Rio 2016. O legado material na realidade vai muito além do legado em infra-estrutura com os equipamentos. O evento esportivo trouxe resultados que nos mostraram que somos capazes e temos potencial para muito mais, apesar das diversidades e das mazelas sociais. O maior exemplo recente deste intangível valor de subir mais alto no pódio serve de espelho para jovens para repetir o feito da atleta.

É atrás de sonhos realizados como conta a história de Rafaela que entra no tatame a Associação Nagai. O projeto social atende a crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social que forma e treina no judô, gratuitamente, moradores do Complexo do Alemão, que frequentam o Projeto Social Malacacheta, e de Del Castilho e região, do Projeto Social do Shopping Nova América, o Plantando o Amanhã, da Rede Cruzada.

O trabalho é desenvolvido, desde 2012, por Silvana Nagai, campeã brasileira de judô, que teve o apoio do ex-atleta Luiz Alberto Gama de Mendonça (in memoriam), primeiro brasileiro campeão Pan-Americano de Judô. Silvana é filha de Sensei Tadao Nagai, que fundou a Associação Nagai em 1971 para disseminar o judô e as Artes Marciais, cuja história confunde-se com a do Judô Brasileiro. Conhecido como o “Menino de Ouro” na cena do judô, Tadao Nagai e seus filhos já formaram centenas de faixa pretas e diversos atletas campeões, brasileiro e internacional.

Em 2017, os atletas da Associação Nagai conquistaram o título de campeões na primeira etapa do circuito Estadual de Iniciantes da Federação do Estado do Rio de Janeiro e o de segundo na segunda etapa. Já no Circuito Nova Geração, na última etapa, a Associação Nagai ficou em segundo lugar, obtendo assim classificações entre as melhores academias do Rio de Janeiro.

Arquivo Nagai

Para Rafaela Silva a vontade é uma das principais características que se procura num futuro campeão. Ela treinou com 55 judocas – dentre eles destaque especial para Ryan Guimarães, da Associação Nagai, campeão brasileiro dos Jogos Escolares da Juventude -, na 2ª edição do Treinamento de Campo de Judô Escolar. Ryan, que tem despontado como uma promessa do judô brasileiro, além de uma técnica apurada revela o comportamento de campeão como o próprio demonstra ao falar do seu futuro e da experiência de treinar com a Rafaela.

“Foi uma grande sensação treinar com uma pessoa que conquistou todos os títulos que um atleta pode ter. Dá para ver que eles treinam muito. Isso é uma motivação para a gente nunca desistir dos nossos sonhos e o meu também é motivar e ser um exemplo para outros futuros atletas, assim como a Rafaela é hoje para mim”, disse Ryan sobre o treino com a campeã olímpica.

A “Nagai” como é chamada carinhosamente pelos mais íntimos tem em seu diferencial a pegada social que transcende muito além o âmbito esportivo e o incentivo à competição. De acordo com os responsáveis, o plano é de médio e longo prazo, por isso a organização está inscrevendo o projeto nas Leis de Incentivo ao esporte visando captar novos patrocinadores com objetivo de oferecer cada vez melhores condições aos alunos e futuras promessas. O intuito da organização é acima de tudo a valorização humana através do esporte, por acreditar que o esporte pode mudar a vida desses jovens atletas que podem ser o futuro do Judô Brasileiro, além de formar cidadãos preparados para as batalhas da vida.

Legenda da foto principal: Ryan Guimarães: campeão brasileiro com sede de vitória em competição