Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Vaias, arbitragem e lembranças da queda: como foi o reencontro de Argel com o Beira-Rio

Desde que deixou o Inter em julho de 2016, em meio ao início da derrocada que colocaria o Inter na segunda divisão, Argel Fucks já esteve duas vezes no Beira-Rio. Na primeira delas, com o Vitória, ainda no ano passado, saiu vencedor e ajudou a empurrar o ex-clube para o Z4. Nesta terça-feira, com o Goiás, a história foi diferente. O técnico saiu derrotado, mas também deu o que falar.

Eduardo Caspary
Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.

Crédito: Foto: Eduardo Caspary/Torcedores.com

Assim que o placar eletrônico do estádio destacou a escalação do time goiano, o Beira-Rio foi tomado de vaias no nome do treinador rival – mais de 35 mil pessoas compareceram ao estádio na noite desta terça. Além das vaias, Argel também foi vítima de xingamentos por parte dos colorados em momentos distintos ao longo dos 90 minutos. Na coletiva de imprensa, registrada pelo Torcedores.com, ele comentou a postura dos colorados:

“Olha, quanto às vaias, é normal. Mas é aquela coisa. Só se vaia quem se respeita. Ninguém chuta cachorro morto. Aqui me respeitam”, diz em um trecho do vídeo que pode ser visto abaixo:

Críticas ao árbitro

A arbitragem de Paulo Roberto Alves Júnior foi alvo de duras críticas do treinador do Goiás. Argel viu interferência direta do juiz no resultado do jogo, apesar de ter reconhecido que o Inter mereceu vencer. As principais reclamações do técnico giraram em torno dos dois pênaltis marcados no segundo tempo – apenas um foi convertido, por Leandro Damião, enquanto William Pottker parou em Marcelo Rangel.

“O placar de 3 a 0 é mentiroso. Os pênaltis não aconteceram. No terceiro gol do Inter, (William Pottker) estava impedido. O Inter tem qualidade. Não precisa fazer gol assim. Não contávamos que a arbitragem fosse influenciar tanto na partida como fez”, destacou.

O técnico fez questão de lembrar que Alves Júnior foi o mesmo árbitro do jogo entre Inter 4×2 Náutico, ainda no início do campeonato, também no Beira-Rio, que teve quatro pênaltis marcados a favor da equipe gaúcha.

Lembranças do rebaixamento

O tema, evidentemente, não faltou na coletiva de imprensa. Técnico do Inter entre agosto de 2015 e julho de 2016, Argel Fucks foi responsável pela montagem do elenco que veio a ser rebaixado e pelas rodadas iniciais do Brasileirão do ano passado, quando, faça-se justiça, chegou até a liderar o certame.

Na coletiva desta terça, o técnico tirou sua responsabilidade da queda e lembrou que outros três treinadores passaram pelo cargo após sua saída – Paulo Roberto Falcão, Celso Roth e Lisca.

“Já estou até cansado de falar disso. As pessoas esquecem que quando eu deixei o Internacional, o time estava em 9° na tabela do Brasileirão. Eu não fui o último treinador do Inter. Depois de mim, passaram mais três treinadores. Mais dois vice-presidentes de futebol. Agora, claro, depois viemos aqui com o Vitória e ganhamos. E o rival direto do Inter naquela briga era o Vitória. E nós acabmos ficando”, disse o comandante do Goiás.

Nas redes sociais, muitos colorados comemoraram em dobro a vitória sobre o Goiás e sobre Argel Fucks, e lembraram do tão falado “trator”, que foi motivo de ânimo para o Grêmio antes de um Gre-Nal no Beira-Rio a partir do polêmico áudio do técnico.

 

 

As melhores notícias de esportes, direto para você