Atletismo

Atletismo: uma das paratletas recordista em sua modalidade

Publicado às

Sou profissional na área de PcDs (Pessoas com Deficiência) e consultora sobre o tema. Crio elo entre empresas e profissionais PcDs, desenvolvendo relações que agreguem qualidade de vida para pessoas e geração de valor para empresas. Palestrante e Coaching, trago através do Torcedores.com informações sobre paratletas, suas modalidades e suas histórias de superações. Meu site: www.clickconsultoriapcd.com

Crédito: Crédito: Arquivo Pessoal de Tecka Santos

A paratleta não nasceu deficiente, mas viu que mesmo se tornando uma deficiente ela se superou e hoje é uma recordista na sua modalidade, que é o atletismo.

Teresinha de Jesus Correia dos Santos, mais conhecida como Tecka Santos, nasceu no Maranhão em uma cidade chamada Caxias e atualmente mora em Londrina, Paraná, há 6 anos.

“Não nasci assim, minha deficiência foi adquirida quando criança aos mais ou menos 7 anos em uma brincadeira de criança correndo cai ao pula uma cerca teve fratura exposta chegando ao hospital o medico engessou o braço assim ao terceiro dia estava infeccionado levando a amputação. Hoje tem 28 anos que não tem o braço esquerdo”, conta Tecka ao Torcedores.com

Sua maior dificuldade foi quando aconteceu a separação dos seus pais quando ainda era criança, pois ela teve que ir morar com seus padrinhos e foi onde aconteceu o acidente.

Já na adolescência, naquela época, ser diferente era bizarro, as crianças zombavam muito de dela e faziam piadinhas de seu braço. Porém sempre teve o apoio total de seus pais, o que foi muito importante nesta época pra superar todos os preconceitos.

E quando Tecka teve a oportunidade de conhecer o esporte adaptado na atual cidade que está com: a competitividade e com os treinos, pôde mostrar para o mundo do que ela é capaz e que não é inútil. Tecka mostra o que tem de melhor para oferecer ao mundo como atleta, e que sua deficiência não pode ser um limitante, mas através dela tenta se alto superar.

Seu primeiro esporte foi o futebol, aos seus 17 anos, devido a um pedido de uma amiga que falava que Tecka era muito gordinha para sua altura. Aí começou a praticar e se apaixonou pela modalidade, onde jogou por 11 anos.

Crédito: Arquivo Pessoal de Tecka Santos

A melhor parte do treino para Tecka é saber que estará indo fazer o que mais ama; em seu ponto de vista não tem a pior parte porque tudo é gratificante. É através dos seus treinos é que ela aprende, mesmo com toda dor, que ela útil ao esporte.

Rua rotina começa acordando e agradecendo por este dia maravilhoso, toma seu banho, café e aí vai para o treino. Depois ela volta para o almoço, descansa e no período da tarde Tecka treina e a noite lê um bom livro. Já na sexta-feira ela vai para aula e no período que não tem treino, ela trabalha com suas frutas desidratada.

Sua participação pela Seleção Paralímpica é desde 2013, quando começou a se destacar em sua categoria que brando recordes, aí veio sua primeira convocação.
Tecka terminou em 3 lugar nos 100 metros, sendo seus primeiros jogos com sua primeira medalha Paralímpica. E agora se prepara rumo a Tókio 2020.

E para finalizar, Tecka mostra um pouco dos exercícios diários que faz para as competições:


Crédito: Arquivo Pessoal de Tecka Santos