Futebol

O crescimento das barras nas arquibancadas nordestinas

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução: Facebook Barra Ilha 1905

Nas arquibancadas sul-americanas, em especial na Argentina, Uruguai e Paraguai, as barras bravas são extremamente populares como um movimento de torcedores fiéis e apaixonados, que não deixam de cantar e apoiar o clube em um minuto se quer.

Se localizam sempre atrás de um dos gols do estádio com instrumentos, tirantes (longas faixas que ficam por cima da torcida), trapos (pequenas bandeiras com frases de incentivo feitas a mão), bandeiras e muitos cantos.

No Brasil, esse movimento teve início no Rio Grande Sul com a “Geral do Grêmio, muito por conta da proximidade com os países vizinhos (Argentina e Uruguai). Com o tempo o movimento foi se espalhando e hoje é cada vez mais comum ver uma barra nas arquibancadas brasileiras, sendo no Nordeste a maior crescente.Tendo uma cultura de torcidas organizadas muito forte, com grandes amizades e inimizades entre torcidas dos grandes clubes dos nove estados, o surgimento e crescimento das barras é um choque no ambiente das arquibancadas Nordestinas. Cantos com letras e melodias diferentes dos habituais, membros apenas com camisas do clube, e a distancia de brigas e violência chamam a atenção e atrai mais adeptos.

Já em 2007, surgiu a “Brava Ilha” do Sport-PE pioneira na região, assim como a “Portão 10” do Santa Cruz-PE e a “Movimento Avante Esquadrão” do Bahia que também começaram em 2007. Mas foi nos últimos cinco anos, que pelo menos uma barra surgiu em cada um dos grandes times do nordeste. “Bravo 18” (Fortaleza), “Bravos Regatianos” (CRB), “Movimento 90” (ABC), “Movimento Brava Bolívia” (Sampaio Corrêa), “Os centenários dos Aflitos” (Náutico) e “Movimento Turma Tricolor” (Bahia), são exemplos do “novo” perfil de torcida. A maioria se ajuda, incentivando o crescimento do movimento na região. Ainda é um começo, mas se mostra muito benéfico para o futebol nordestino esse novo perfil de torcer.