Futebol

Capitão contra a Colômbia, Paulinho rejeita rótulo de artilheiro

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Paulinho será o capitão da seleção brasileira contra a Colômbia (Foto: Divulgação/Pedro Martins/Mowa Press)

Crédito: Foto: Pedro Martins/Mowa Press

Assim como fez no Corinthians campeão da Libertadores e do Mundial de Clubes em 2012, Tite segue o rodízio da faixa de capitão pela equipe da seleção brasileira. Depois de Marcelo usar a braçadeira na última quinta-feira, contra o Equador na Arena do Grêmio, será a vez do volante Paulinho ser a voz do treinador em campo, nesta terça-feira, contra a Colômbia em Barranquilha.

“”É gratificante ser capitão, depois de todo um trabalho que vem sendo feito, de bons jogos pela Seleção. É claro que não muda nada, vou continuar sendo o mesmo jogador, e todos aqui têm confiança e capacidade de fazer um bom trabalho na equipe. Independentemente de quem vai jogar, tem nossa confiança”, comemorou o camisa 15 da seleção brasileira.

Uma característica marcante do futebol de Paulinho sempre foi sua forte chegada ao ataque. E na seleção não é diferente. Com cinco gols marcados até aqui, o jogador aparece em sexto lugar na lista dos artilheiros das Eliminatórias da América do Sul para a Copa do Mundo de 2018, ao lado de nomes como Gabriel Jesus, Paolo Guerrero e James Rodríguez. Apesar dos gols marcados, ele rejeita o rótulo de volante-artilheiro.

“Não é artilheiro, eu procuro aproveitar as oportunidades na seleção brasileira, como nos clubes em que passei, agora chegando ao Barcelona. A gente brinca que às vezes a bola sobra e temos que estar ali (risos)”, afirmou Paulinho.

O capitão da seleção brasileira também contou qual o segredo para conseguir conciliar a função de marcação, primordial para um volante, com as chegadas ao ataque: a experiência.

“Os anos se passam e a gente fica mais maduro, com mais experiência, procuro sempre estar aprendendo. Consigo ir no momento certo, tem todo um trabalho da comissão técnica por trás, o Tite sempre nos orientando. Tem o momento certo de ir ao ataque, outro de ficar mais, ajudar na saída de bola. Não existe segredo, existe um trabalho, confiança. Tenho que aproveitar o momento”, concluiu o jogador.

LEIA TAMBÉM
DANIEL ALVES RASGA ELOGIOS A MESSI: “MELHOR DA HISTÓRIA E MAIS ESPETACULAR JUNTO COM NEYMAR”