Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Aos 80 anos, árbitro completa 60 anos de várzea por paixão e nem pensa em parar

Aos 80 anos de idade, Manuel Stryjer, ou apenas “Seo” Manuel, nem pensa em encerrar a carreira e calcula ter apitado mais de 2.500 jogos ao longo da “carreira” como árbitro da várzea.

Cornetas da Bola
Colaborador do Torcedores

A paixão pelo apito vem desde cedo, “Seo” Manuel jogava futebol, mas gostava de apitar. Iniciou a carreira com mais ou menos 20 anos de idade, aos 25 fez um curso e logo depois entrou para a faculdade de Odontologia, mas sempre apitando e jogando. Costumava jogar no segundo quadro e apitar o primeiro ou vice versa, com a idade foi deixando de jogar e ficou só no apito. “Se eu não apito em casa, apito aqui”, (risos) diz o Sr. Manuel.

Nesses mais de 60 anos apitando, ele calcula já ter apitado entre  2.500 e 3 mil jogos, há seis anos apita os jogos do time dos Dragões da Casa Verde, aonde chegou à marca de 300 jogos e foi homenageado no ultimo mês de julho, dia em que também comemorava 80 anos de idade. 

Jogo inesquecível

“Seo” Manuel conta que o jogo mais inesquecível aconteceu em um campeonato interclubes na capital, onde ele assistia a preliminar das arquibancadas e foi convidado para apitar o jogo principal. “O trio de arbitragem do jogo principal teve um acidente e não apareceu para o jogo”, cita “seo” Manuel.

O jogo era entre as equipes principais do Macabi e do Paulistano, era uma decisão e não tinha outra data para realização da partida, e teria que ser realizada naquele dia. Então qual foi à solução? Chama o Sr. Manuel. “Me perguntaram se eu queria apitar, então eu escolhi dois rapazes do clube que eu sei que sabiam as regras e apitei” afirma o veterano árbitro.

O Macabi venceu o jogo e após o termino da partida os jogadores do time do Paulistano me abraçaram e me aplaudiram. “Sinceramente eu fiquei meio assim, pois nunca havia visto alguém aplaudir o juiz” fala o dentista.

Mais fácil apitar nos dias atuais ou antigamente?

Para ele hoje em dia é mais fácil pois se entende mais de futebol, com a televisão e os meios de comunicação as pessoas começaram a entender mais as regras da modalidade. Ele diz que antigamente o futebol era mais bruto, mais contato físico, hoje em dia está tudo mais profissionalizado e isso colabora bastante.

Ele também é daquela época em que podia se recuar para o goleiro pegar com as mãos e tinha algumas outras regras, “o goleiro não podia sair correndo com a bola na mão e chutar, tinha que dar um toque com a bola no chão a cada três metros”, lembra o árbitro. Ele ainda cita que pouca coisa mudou de lá para cá, mas o bastante para melhorar e deixar o jogo mais rápido.

Aposentadoria

“Seo” Manuel fala que já pensa sim na aposentadoria, mas ela fica sempre para o “ano que vem”, porém nunca chega. “Eu falo que vou parar no ano que vem, masssss”, diz o veterano do apito.

Dicas para quem quer ser árbitro de futebol

Cuidar do preparo físico que é muito importante vê bastante filme sobre jogos e quando estiver vendo os jogos pela televisão trate de verificar sempre o posicionamento do árbitro e dos assistentes. Estando bem fisicamente ele vai ver a jogada sempre de perto, coisa que não acontece comigo hoje, porque com 80 anos fica meio difícil. (risos). Eu apito hoje em dia mais pela intuição do que outra coisa. Finaliza “seo” Manuel.

 

Por Cléber Cunha