Em entrevista, Moisés falou sobre título e muito mais; confira

Importantíssimo dentro do elenco do Palmeiras, Moisés herdou a camisa 10 no começo da temporada e sofreu com lesão ainda no Campeonato Paulista, o que o tirou de quase todo o primeiro semestre. Em entrevista ao programa Bola da Vez, da ESPN, o ‘Profeta’ palmeirense mostrou confiança na busca pelo arquirrival Corinthians, apesar da distância de 11 pontos na tabela.

Brunno Araújo
Colaborador do Torcedores

Crédito: Foto: Cesar Greco

”Se a gente vai chegar, eu não posso precisar isso, mas a gente vai incomodar. Vai depender se eles vão dar essa oportunidade. Se ficarmos até a 37ª rodada em segundo, importante é na última estar em primeiro e ser campeão. Cada jogo é pra matar um leão. Enquanto houver possibilidade, a gente não pode deixar de sonhar e brigar”.

O meio-campista falou sobre o por que do Palmeiras não mostrar o que se esperava dele dentro da temporada.

“Primeiro teve a troca de treinador. São perfis diferentes e no primeiro momento, não teve encaixe. Não tem o que se discutir da qualidade do elenco, mas não deu liga. Começa por uma série de fatores mas a troca de treinador foi um fator determinante”.

“Se continuasse o Cuca desde o começo, as coisas iriam fluir mais. Não dizendo que o Eduardo (Baptista) é ruim, mas a troca de treinador influencia. São filosofias diferentes”.

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

Moisés em ação diante do Fluminense, pela 25ª rodada do Brasileirão. Foto: Cesar Greco

 

O jogador de 29 anos também falou sobre Cuca e sua chegada ao clube, em 2015, cercada de desconfiança.

“Minha chegada foi duvidosa. Não tiro a razão, só tinha jogado em clubes menores, com todo respeito. O Palmeiras é o de maior dimensão. Na época da minha chegada só se falava em Diego, Éverton Ribeiro. E chega o Moisés, que só tinha jogado em clubes de menor expressão. Eu sabia que ia ter essa cobrança”.

“(Cuca) Ele tem um jeito diferente. Gosto muito, aprendi bastante com ele. Tem o temperamento dele, sabe brincar e sabe ser sério, e tem suas superstições (risos)”.

Sobre o América Mineiro, clube que o revelou, Moisés mostra vontade de um dia voltar a vestir a camisa do time de Minas.

“Tenho vontade de voltar ao América (Mineiro). Não sei se vai se concretizar, mas é um clube que abriu as portas para mim e meu irmão. Espero que se concretize. Não sei como vai acontecer, pode ser que eu encerre a carreira no Palmeiras ainda, estou muito bem adaptado aqui, mas espero vestir a camisa do clube de novo”.

Felipe Melo

”Ainda não se encerrou um ciclo. Se ele saísse hoje, poderia dizer que não foi bom. Mas pode ser que daqui um tempo ele volta a jogar e de tudo certo. No final do ciclo vai dar pra avaliar melhor o que é o Felipe Melo. Eu particularmente gosto muito dele, aprendo bastante”.

Borja

“Converso muito com ele. A gente sabe que é um menino ainda, tem qualidade, só que teve a dificuldade da adaptação. No momento em que ele chegou, o Palmeiras não estava tão bem, isso atrapalha também. Acabou atrapalhando ele. O Cuca conversou, e a participação dele já está diferente. Se não for esse ano, estará preparado para o ano que vem ser aquele Borja do ano passado”.

Com Moisés, o Palmeiras volta a campo diante do Santos, no Allianz Parque, sábado (30), às 19:00 (de Brasília), clássico válido pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em caso de vitória, o Verdão ultrapassa o próprio rival na busca pelo título.

LEIA MAIS:
PIOR CENÁRIO DO BRASILEIRÃO AINDA PERMITE PALMEIRAS ACREDITAR NO TÍTULO; CONFIRA