Tênis

Guga explica o motivo do tênis não ter “decolado” no Brasil: “ambiente perturbador”

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Guga

Crédito: Reprodução / Site oficial Roland Garros

Convidado pela Mormaii na 18ª IHRSA Fitness Brasil, maior feira do setor no país, o ex-tenista brasileiro Gustavo Kuerten, o Guga, comentou um pouco sobre o atual cenário do tênis no Brasil e o motivo do esporte não ter decolado após o “boom” gerado pelo seu tri-campeonato em Roland Garros.

“Por conta dos processos principais, que é investir nos profissionais da área e criar um ambiente mais saudável. O ambiente do tênis hoje é o mesmo, talvez até mais perturbador do que na minha época. O que move e transforma o esporte vai além do investimento financeiro. Precisa ser criado um ecossistema positivo, saudável”, explica Guga.

Para o tri-campeão de Roland Garros, o ambiente propício passa fundamentalmente pelo incentivo aos treinadores e por outros profissionais técnicos, como preparadores físicos. Na visão de Guga, o foco hoje ainda está muito nos atletas. “Quando esse ecossistema favorável de base for criado para os profissionais se desenvolverem, vai ser mais fácil bons jogadores aparecerem”, opina.

COLOCANDO A MÃO NA MASSA

Mas Guga não é só de falar. Por meio do Grupo Guga Kuerten, o ex-tenista mostra que se preocupa bastante e atua de forma constante em prol do desenvolvimento do tênis no Brasil.

“Estamos dedicados a isso. Nossa empresa está há praticamente 10 anos investindo nesse plano, desde quando eu parei de jogar profissionalmente. Em 2009 começamos a trabalhar com essa missão muito definida dentro da empresa”, revela.

Kuerten explica que a Escolinha Guga, por exemplo, já atende escola para juvenil, adulto e beach tênis, além de ter criado recentemente uma primeira célula da Equipe Guga.

“Estamos trabalhando de uma forma que se estabeleça todos esses processos, para que se determinem os melhores caminhos”, explica. A ideia é diminuir a influência externa para que as crianças comecem a determinar quem é de fato melhor e quem precisa evoluir.

“O meio, assim como no futebol, ele determina nas escolinhas quem vão passando”, resume Guga, que ainda brinca: “um dia a criança chega na escolinha do Avaí, daí já tem o futuro garantido!”, se diverte o torcedor ilustre do Leão da Ilha.

E por falar em Avaí, você já leu o que o Guga disse sobre o time catarinense no Brasileirão? Pois aqui ele fala o que espera para esse segundo turno e ainda fala sobre o concorrente São Paulo na luta contra o rebaixamento!

LEIA MAIS
VEJA DICAS DO GUGA PARA QUEM DESEJA SER ATLETA DE ALTA PERFORMANCE