Kleina não resiste a derrota para lanterna e é demitido da Ponte Preta

Fabio Leoni/ PontePress

A derrota para o Atlético-GO, neste sábado, em Campinas, sacramentou a saída de Gilson Kleina do comando da Ponte Preta. Se antes do jogo o clima não era dos melhores para o treinador, o desempenho da equipe diante do lanterna do Campeonato Brasileiro fez a diretoria optar pelo seu desligamento.

Após o jogo, o diretor de futebol da Macaca, Hélio Kazuo, e o gerente de futebol, Gustavo Bueno, comunicaram oficialmente em coletiva a saída de Kleina.

“Nós entendemos em reunião, logo após o fim do jogo, em consenso com a diretoria e a presidência, que seria necessário fazer a troca e já conversamos com o Gilson”, disse Bueno.

O dirigente ressaltou que a Ponte Preta, em momento algum, pensou em outros nomes para a possível saída de Kleina. Bueno também confirmou que João Brigatti será o treinador interino no jogo contra o Sport, na próxima quarta-feira, pelas oitavas da Copa Sul-Americana.

“Não pensamos nem articulamos nenhum nome, até porque a saída é em detrimento de resultado. Quem estava no dia a dia viu a entrega do Gilson, o comprometimento e o trabalho dele, que é um profissional sério e dedicado, contudo infelizmente os resultados não vieram”, lamentou o dirigente.

RETROSPECTO

Nas duas passagens pela Ponte, Gilson Kleina comandou a equipe por 152 jogos, obtendo 61 vitórias, 40 empates e 51 derrotas. O técnico deixa a Macaca na 13ª colocação da tabela do Brasileirão com 28 pontos, somente a dois fora do Z-4.



Esportista de hobby, mas jornalista de profissão. Trabalhou como repórter do O Estado de S. Paulo, Revista TÊNIS. Tênis Virtual e CurtaTÊNIS em coberturas nacionais e internacionais de grandes eventos.