Extra-campo

Pentacampeão Rivaldo é alvo de protesto em Mogi Mirim

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Crédito: Reprodução globoesporte.com

Rivaldo ex-jogador e presidente entre 2008 e 2015 do Mogi Mirim – tradicional clube do interior do estado de São Paulo – foi alvo novamente de protesto da torcida do Sapo da Mogiana. A parte interna do estádio Vail Chaves amanheceu pichada com frases contra o ex-meia da seleção brasileira, bem como ao presidente atual.

 

Rebaixado à Série D do Campeonato Brasileiro, dono de um vexaminoso W.O. na série C deste ano e em meio a uma grave crise financeira, fato que gerou até greve de jogadores durante a competição. O Mogi Mirim E.C. tem vivido dias de “bola dividida” com sua sua torcida. Ao chegarem para os treinamentos desta quinta (31) jogadores e comissão técnica foram surpreendidos ao verem a parte interna do estádio Vail Chaves pichado com frases que tinham endereçamento ao ex-craque Rivaldo e ao atual presidente, o empresário Luiz Henrique de Oliveira.

” Fora forasteiros”; “Cade o dinheiro do Ubequistão” (sic); e “Devolva os CT Rivaldo” (sic)

 

A assessoria de imprensa da agremiação prometeu registrar um boletim de ocorrência para tentar encontrar o(s) autor(es) da pichação.

 

A queda de braço envolvendo torcida e Rivaldo não é de hoje. Há tempos discutem sobre as mais diversas situações. O torcedores.com trouxe ao leitor alguns destes episódios, confira:

 

Troca do nome do estádio

O atual estádio Vail Chaves já teve cinco (5) alcunhas diferentes. O mais polemico foi alteração da nomenclatura “Papa João Paulo II” para “Romildo Vitor Gomes Ferreira”, uma homenagem ao pai do ex-atleta. A mudança causou uma repercussão negativa na cidade.

 

Apropriação do Cts do clube

 

Crédito: Reprodução/Facebook oficial Mogi Mirim E.C.

Quando deixou o clube, Rivaldo alegou ter usado dinheiro do próprio bolso para arcar com despesas do clube, durante sua gestão. Por este motivo se apropriou dos CTs do Sapo avaliados em mais R$ 6 milhões na época. Henrique Peres Stort, Ivan Benedito Bonatti e Alceu Carlos dos Santos, sócios do Mogi Mirim, entraram com um pedido de liminar na Vara Cível de Mogi Mirim, solicitando a anulação do negócio em que Rivaldo tomou posse dos terrenos, localizados em Mogi Guaçu e Limeira.O caso segue em tramitação na justiça.

Dívidas

Os advogados divergem sobre as dívidas. Ouvidos pela reportagem do globoesporte.com eles defenderam seus argumentos:

 

” Ele (Rivaldo) assumiu o compromisso de não dilapidar o patrimônio e não usar o patrimônio do clube para manutenção do futebol, que era tudo por conta dele. Então quem deve para o Rivaldo hoje? É o Rivaldo. O presidente Rivaldo deve para o Rivaldo pessoa física, disse Luiz Adorno, ex-advogado do clube paulista.”

” O Rivaldo emprestou dinheiro para o Mogi Mirim de 2008 a 2014. O Mogi, para saldar parte da dívida que tinha com o Rivaldo, deu os CTs como parte do pagamento dessa dívida.”

 

Nos campos, Rivaldo viveu dias de glória com a equipe do interior. Vindo do Santa Cruz/PE no inicio da década de 90, o meia pentacampeão com a seleção brasileira foi o craque do time denominado como “carrossel caipira”. Dirigido por Oswaldo Alvarez, o carrossel chamou a tenção de todos. Rivaldo, Leto e Valber formavam um trio de encher os olhos dos amantes do futebol. Como prêmio todos foram contratados pelo Corinthians ao término do Campeonato Paulista.