Extra-campo

Presidente do Botafogo estabelece condição para Flamengo mandar jogos no Nilton Santos

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Botafogo x Flamengo

Crédito: Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

O alto custo do Maracanã faz com que os clubes do Rio de Janeiro procurem outros locais para mandar jogos. O Flamengo, que vem sendo o principal mandante do Mário Filho, pode ver uma alternativa no estádio Nilton Santos, casa hoje administrada pelo Botafogo.

O presidente do Alvinegro, Carlos Eduardo Pereira, disse em entrevista ao programa Seleção SporTV, do canal SporTV, que não veria problemas em permitir que o rubro-negro jogue em seu estádio. Mas apontou a condição de que exista um acordo entre os dois clubes para que isso aconteça.

“O Botafogo é concessionário do Nilton Santos e gestor do mesmo. Assim como a concessionária do Maracanã estabelece um preço, o Botafogo também tem que buscar condições comerciais que sejam adequadas a sua operação, que ajudem a fechar os custos do estádio e que não nos tragam maiores dificuldades organizacionais. O que nunca houve foi a chegada a um acordo comercial. É isso, fundamentalmente. São acordos comerciais, de interesse da cada ‘player’ para buscar a realização de um resultado dentro da sua expectativa. É natural de quem quer locar que cobre mais e quem quer alugar quer pagar mesmo”, afirmou Pereira.

O dirigente reiterou que, caso exista um acordo comercial útil para os times, as possibilidades de permitir jogos de outros times no estádio do clube podem ser abertas. E ressaltou os motivos que o fazem não mandar jogos no Maracanã,

“A prioridade é o entendimento comercial. Se não tiver, não é só o Flamengo que não joga no Nilton Santos. Só o Botafogo tem jogado lá. O Fluminense tem preferido jogar no Maracanã e no campo do América e o Vasco em São Januário. É questão de busca de valores e entendimentos. Como o que os clubes também procuram no Maracanã. E a gente foge do Maracanã porque sabe que os custos ali são altíssimos, beiram o absurdo. Eles tem um ponto de equilíbrio na casa dos 30 mil pagantes. No Nilton Santos, a gente trabalha com 12 ou 15 mil”, comentou.

No começo de 2017, um clássico entre os dois clubes pelo Campeonato Carioca no Engenhão foi marcado por uma briga entre torcedores, que gerou uma morte. O mandatário botafoguense criticou o Flamengo na época, afirmando que ‘seria impossível’ trabalhar ao lado dos flamenguistas.

LEIA MAIS

APÓS LESÃO, G. BOCHECHA SONHA COM CHANCE COM JAIR VENTURA

GUGA SE SENTE “COBAIA” DE CIRURGIAS: “PAGAMOS UMA CERTA CONTA NA ÉPOCA”

JOSÉ ALDO ENTRA NA POLÊMICA DO FLAMENGO E PEDE “PELO AMOR DE DEUS” POR THIAGO NO LUGAR DE MURALHA

(Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)