Futebol Europeu

St Pauli: o time mais rock n roll do mundo; conheça a história

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução: Facebook oficial FC St. Pauli

Fundado em 15/05/1910, o St. Pauli (se pronuncia ‘Sanqt Pauli’) é um time de futebol da cidade de Hamburgo (Alemanha), onde fica um dos portos mais importantes do mundo, também existe o Hamburg Sport-Verein – um dos mais tradicionais times alemães – que já foi campeão alemão em seis oportunidades e uma vez campeão da Copa dos Campeões da Europa, perdendo a final de interclubes para o Grêmio em 1983, existe até uma filial no Brasil, o Novo Hamburgo (RS), que foi fundado por alemães, na cidade de mesmo nome.

O futebol germânico é conhecido pela sua tradição. Para muitos ele está abaixo do Brasil, Itália e Argentina no quesito ‘escola de craques’, mas para a maioria dos especialistas, é o futebol mais inteligente do mundo. Sem que ninguém perceba, a Alemanha chega as finais de Copa do Mundo.

Em dezoito disputas (Alemanha só ficou de fora dos mundiais de 1930 e 1950) ela chegou a treze semifinais e, oito finais, vencendo quatro vezes, não esquecendo as três Eurocopas, junto com a Espanha são as únicas tri campeãs. A única falha da Seleção Alemã foi nunca ter vencido o futebol olímpico, inclusive ter perdido a final de 2016 para o Brasil. Recentemente foi campeã da Copa das Confederações.

Algumas equipes alemãs também têm tradição, além do poderoso Bayern de Munique – que já venceu a Copa dos Campeões da Europa cinco vezes e, é o maior campeão alemão – temos o já citado Hamburgo SV, o Borussia Dortmund que também já ganhou a taça numa única oportunidade, não se esquecendo das equipes tradicionais como Stuttgart e Schalke 04. A Alemanha é a terra natal de diversos fabricantes de material esportivos, como Adidas e Puma.

Craques também não faltaram no país, durante a história a Alemanha, tiveram nas Copas do Mundo jogadores como: Fritz Walter, Uwe Seeler, Franz Beckenbauer, Sepp Mayer, Wolfgang Overath, Gerd Müller, Kalle Rummenige, Jürgen Klinsmann, Rudi Völler, Lothar Matthäus, Lukas Podolski, Michael Ballack, entre outros. Uma curiosidade é que na época do nazismo, a Áustria foi anexada à Alemanha e, o Rapid Vienna conseguiu ser campeão alemão.

Mas vamos falar do St. Pauli, tradicional bairro boêmio de Hamburgo, cidade com 1,7 milhões de habitantes. St. Pauli é sinal de largados, prostituição, tráfico e tudo aquilo que a sociedade condena (mas, muitos gostam). O bairro é lotado de sex-shops, mulheres dançando seminuas nas vitrines, bares de rock espalhados; tem até aqueles especializados em metal extremo. Um lugar para quem é “despreocupado”.

Foi nesse bairro. que os Beatles fizeram o seu primeiro show internacional em 1961, além de se apresentaram no mesmo local, feras da época como: Jimi Hendrix, Janis Joplin, David Spencer Group, Rolling Stones, The Who, Animals, The Doors, entre outros.

Hoje o lugar virou um museu, onde pessoas mais jovens apenas passam para olhar e, imaginar tudo o que aconteceu naquele tempo. Infelizmente, o St. Pauli não corresponde a toda essa energia com o seu futebol, o time fica mais na segunda divisão do que na primeira.

Quando disputou pela última vez a Bundesliga 1. (primeira divisão do país) em 2011, foi goleado por diversas vezes. O rival Hamburgo SV chega ironizar e afirmar: ‘Queremos um rival à altura’. O grande poder do clube é o Rúgbi feminino (campeãs alemãs oito vezes).

A equipe é formada por jogadores que curtem rock, já que o visual heavy metal, punk e gótico é muito comum na torcida e, nos jogadores. O símbolo da  uniformizada é uma caveira de bandeira pirata – ‘Totenkopf’ em alemão.

Muitos torcedores são militantes de esquerda, prova disso é que St. Pauli já fez até amistoso contra a seleção de Cuba, provando que o esporte bretão é muito fraco na terra de Fidel Castro, pois o time alemão goleou por 7 a 0, não esquecendo as bandeiras com a imagem de Che Guevara.

A torcida também faz campanhas contra o nazismo e fascismo, motivo pelo qual eles têm aliança com dois times, que fazem esses tipos de protesto: Hapoel Tel Aviv (Israel) e Celtic (Escócia) – time de imigrantes católicos irlandeses. O ‘intercâmbio existente entre o Hamburgo SV e o Rangers (maior rival do Celtic) também aproximou St. Pauli e o time escocês, que até comercializa produtos do time alemão. Não esquecendo que eles possuem torcidas uniformizadas na Grécia, EUA e Inglaterra.

Muito perto de Hamburgo temos um festival de Heavy Metal famoso chamado Wacken Open Air, onde uma seleção de músicos já jogou contra o St. Pauli. Em 2000, a banda de hardcore Bad Religion enfrentou os reservas do time do St. Pauli. Até o grupo de eletro / rock Asian Dub Fundation já fez shows com os integrantes vestindo a camisa do time.

Os maiores fãs do time é a banda norueguesa Turbonegro, que chegou a gravar uma versão especial em alemão para sua musica ‘I Got Erection’, em 2004 eles fizeram um show no estádio do St. Pauli, para arrecadar fundos para o time – que andava mal das pernas. Outro grande torcedor é o vocalista Andrew Eldritch do grupo Sisters of Mercy, que também patrocina o time.

Normalmente eles entram em campo com a musica ‘Hells Bells’ do AC/DC. Lembrando que Hamburgo também possui o maior evento gótico do mundo, é muito normal avistar camisa da equipe do St. Pauli nessas atrações.

Vamos torcer para que o time cresça e, tenha condições um dia de disputar a Copa dos Campeões da UEFA, porque com certeza os roqueiros do mundo inteiro tem o St. Pauli como segundo time. No excrete a equipe já possuiu jogadores de Camarões, República Tcheca, Canadá, França, Turquia, Macedônia e Gana, rock n roll até nisso.

LEIA MAIS:
ST. PAULI, DA SEGUNDONA ALEMÃ, IRÁ PRODUZIR MEL EM SEU ESTÁDIO