Futebol

Veja o que muda no Vasco após conseguir o certificado de formador da CBF

Publicado às

Foi editor do semanário BolanoBarbante, apaixonado por esportes, entusiasta das corridas de rua e dos jogos de tênis.

Crédito: Paulo Fernandes/Vasco/Divulgação

O Vasco conseguiu o certificado de formador da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e para isso teve que fazer várias adequações no clube, que são pré-estabelecidas pela Lei 12.295/11, a Lei Pelé. Entre as exigências, o Gigante da Colina teve que comprovar a participação em competições oficiais de todas as categorias de base, além de detalhar os treinamentos e a assistência médica e educacional dos atletas.

O certificado de formador é mais que um simples título, pois vai representar também uma economia ao clube, já que não vai existir uma necessidade de assinar vínculos profissionais com os atletas de 16 anos. Em contrapartida, o título garante que o clube seja indenizado em caso de transferências de jogadores na faixa etária de 14 anos.

Desta forma, o Vasco vai diminuir um grande custo pela não necessidade de fazer um contrato profissional, sendo que o contrato de formador acaba saindo bem mais em conta, pois os custos trabalhistas e de uma futura rescisão são menores. Vale lembrar, que o contrato de formador da a mesma segurança que o trabalhista.

Outra ponderação importante é em relação ao fato do clube precisar manter as exigências pré-estabelecidas para não correr risco de perder o certificado de formador e consequentemente os benefícios do mesmo. Em dois anos, a CBF fará novo levantamento e a equipe precisa estar com tudo em dia.

LEIA MAIS:

VEJA 5 CARACTERÍSTICAS QUE DEVEM SER IMPLANTADAS NO VASCO DIANTE DO GRÊMIO