Chile fora da Copa 2018: 5 razões para o fracasso

Chile fora da Copa 2018. Chi-Chi-Chi lê-lê-lê, esse é um grito de uma torcida chilena apaixonada que não será ouvido em 2018. Se até o jogo contra o Brasil, pela última rodada das eliminatórias da América do sul, o Chile se encontrava na Copa, não está mais e e forma inacreditável.

Bruno Wang
Redator e Pós Graduado em Jornalismo Esportivo. Ama Futebol e o Esporte.Redator Sênior do Torcedores.comPara um pouco mais de mim, pode me escrever: Brunocom26@gmail.com

Crédito: Reprodução: Facebook oficial CBF/ Foto: Rafael Ribeiro / CBF

Listamos as 5 maiores razões para as falhas do nosso vizinho chileno.

  1. A perda de pontos para equipes não tradicionais do continente: o Chile perdeu duas vezes para o Paraguai, que também não vai à Copa, inclusive como mandante. Perdeu para Bolívia, penúltima colocada cativa das eliminatórias. Deixou pontos preciosos também para outro adversário considerado fraco, numa partida em que foi atropelado pelo decadente Equador por 3 a 0, ainda em 2016.
  2. Falhas individuais e rendimento coletivo abaixo do esperado: o goleiro Claudio Bravo foi a imagem das falhas individuais da Seleção do Chile nas eliminatórias. Principalmente no jogo final contra o Brasil. Foi fácil perceber a diferença do time campeão da Copa América pela primeira vez com Jorge Sampaoli em 2015 e o time mal arrumado que não irá para Rússia. Jogadores importantes como Arturo Vidal e Alexis Sánchez atravessam uma fase ruim, tanto nos clubes, quanto na seleção.
  3. Terminar a última rodada das eliminatórias precisando de resultado contra o invicto Brasil: os altos e baixos do Chile levaram a “La Roja” a jogar dependendo de um bom resultado contra uma Seleção Brasileira já em ritmo de preparação para Copa. Quando Paulinho marcou o primeiro gol brasileiro, o Chile se perdeu completamente em campo. Qualquer sistema tático foi desfeito com entrada de mais dois atacantes. E o Brasil tratou de dar o fim nas pretensões chilenas.
  4. Juan Antonio Pizzi não é Sampaoli: é verdade que a Argentina sofreu para ir a Copa com Sampaoli agora em 2018, mas o Chile liderado por ele tinha um dinamismo que o técnico atual, Pizzi, jamais conseguiu manter.
  5. O Chile vestiu o salto alto depois de vencer duas Copas Américas: o time chileno parece ter esquecido que, no continente, existem 9 títulos mundiais, nenhum do Chile. Ter participado da Copa das Confederações e os últimos títulos conquistados levaram os chilenos a superestimar suas próprias capacidades. Gabriel Jesus encerrou de forma humilhante o ciclo de uma geração que poderia ter ido muito mais longe.

LEIA MAIS:
CHILE DECEPCIONA E NÃO ENGRENA TERCEIRA PARTICIPAÇÃO SEGUIDA EM COPAS
OPINIÃO: SELEÇÃO BRASILEIRA ENCAROU O CHILE QUASE COMO UM TREINO
JORNAL REVELA QUE SAMPAOLI PREVIU EM 2015 QUE CHILE NÃO IRIA À COPA DO MUNDO